Destaques Opinião

Sob nova administração

9 de dezembro de 2020

Diz um provérbio, de aplicação universal: “Porque, como imaginou em seu coração, assim é ele.” Ao assumir a chefia do executivo em 2017, o atual prefeito, Renatinho Ourives, encontrou o município em condições lastimáveis, principalmente no aspecto das contas públicas, tudo isso como reflexo, também, da situação em que se encontrava o país e o estado de Minas Gerais, que chegou ao extremo de reter os repasses constitucionais ao município, o que o obrigou, logo no início do governo, a decretar estado de calamidade pública, como noticiado pela imprensa à época:

… O prefeito de Passos, Carlos Renato Lima Reis, publicou na tarde de quinta-feira, um decreto que assinala o estado de calamidade pública no âmbito da administração financeira da Prefeitura Municipal. O decreto tem duração de 120 dias, podendo ser prorrogado, caso a situação se mantenha inalterada… Em nota oficial à imprensa, a prefeitura informa que considerou, para assinalar o estado de calamidade, as atuais limitações financeiras da cidade, as despesas apresentadas pela gestão anterior, na ordem de R$ 27 milhões, e da folha de pagamento. Soma-se a isso o estado de precariedade da estrutura física e equipamentos dos órgãos do município…”. (E.M., 20/01/2017).

Agora, ao término de sua administração, vai entregar o município e as contas públicas em condições bem melhores do que as que encontrou. Não foi candidato à reeleição. É e foi passível de críticas? Sim. Poderia ter feito melhor? Sim, pois quase sempre podemos superar as circunstâncias negativas e nos superarmos, também, nas nossas limitações.

Mas, apesar dos percalços de toda ordem, mormente no relacionamento com o legislativo (a eterna e canhestra política partidária do perde/perde – “nem ele, nem eu” – que se observa, lamentavelmente, há décadas na nossa cidade, onde, ao final, quem sai perdendo é o povo), conseguiu legar algo melhor do que herdou.

Palavra e atitude esquecidas atualmente – quando a revolta, a divisão, o ódio, as intolerâncias e tantos outros males grassam na sociedade e nos roubam a sensibilidade -, a gratidão carece de ser resgatada, valorizada e expressada, mesmo com o risco de se levar pedradas e pauladas, figuradamente e até no sentido literal.

Ao Sr. Carlos Renato Lima Reis, nosso popular Renatinho Ourives, e a toda a sua equipe de governo, bem como aos servidores do município, o nosso muito obrigado pela boa gestão que se encerra. Sei que vozes contrárias existirão, faz parte do viver (afinal, como dizia Nelson Rodrigues, “Toda unanimidade é burra.”), mas não estou só.

Ao prefeito eleito, Diego Rodrigo de Oliveira, e ao novo legislativo passense, meus sinceros votos de uma excelente gestão e legislatura. O povo saberá reconhecer o que de bom for feito pelos senhores, e de ruim também. Contem com os meus préstimos para o que for de bem e estiver ao meu alcance (não sou candidato a nada). Saúde e paz a todos!

P.S.: Ao futuro prefeito: repense a proposta de criar mais uma secretaria no município, a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (SMSPDS) e a Guarda Civil Municipal. Isso implicaria aumento significativo de despesa em momento impróprio. Muito mais sensato seria reforçar o que já existe em matéria de segurança pública, melhorando parcerias com a Polícia Militar e otimizando e alocando os recursos financeiros, de pessoal e material neste sentido.

WASHINGTON L. TOMÉ DE SOUSA, bacharel em Direito, ex-diretor da Justiça do Trabalho em Passos,
escreve quinzenalmente às quartas, nesta coluna