Destaques Geral

Sind-UTE cobra esclarecimento sobre pressão para usar Google Meet em MG

16 de abril de 2021

O pedido se baseia em reclamações de professores que estariam sendo pressionados a usar a ferramenta para dar aulas. / Foto: Divulgação

PASSOS – A Subsede Regional de Passos do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) enviou um ofício à 27ª Superintendência Regional de Ensino de Passos (SRE), na última quarta-feira, 14, no qual cobra do órgão que esclareça aos dirigentes escolares de toda a região sobre o uso da ferramenta denominada Google Meet. O pedido se baseia em reclamações de professores que estariam sendo pressionados a usar a ferramenta para dar aulas.

O próprio Memorando-Circular 06/2021 da Secretaria de Estado da Educação cita claramente que o Google Meet é uma ferramenta alternativa complementar, sendo que a oficial é o Google Sala de Aula. Portanto, a pressão quanto ao uso de tal ferramenta, que expõe a imagem tanto de alunos como de professores, será entendida como assédio moral, parta de onde partir”, disse a coordenadora regional do Sind-UTE, professora Maria Antônia Mourão Barbosa Fonseca.

A dirigente sindical disse que o uso do aplicativo deve facultativo. “Os professores podem fazer uso da ferramenta, se quiserem, não constituindo uma obrigação”, disse. Segundo ela, durante a pandemia, os profissionais têm se desdobrado para conseguir ministrar as aulas online. “Sem contar o sem-número de documentos para preencher, de memorandos para ler, de cursos para fazer, de atividades complementares para produzir e várias outras burocracias que tanto agradam ao Estado”, afirma. De acordo com Maria Antônia, os profissionais da Educação lotados nas escolas e nas superintendências estão trabalhando muito. “E, quase sempre, sem o reconhecimento das autoridades maiores do nosso Estado”, afirma.