Destaques Música

Sertanejos lideram ranking de lives

29 de dezembro de 2020

Foto: Divulgação (Site Agência Brasil)

Uma das palavras mais ouvidas neste ano foi “live”. Com a paralisação dos shows ao vivo, os artistas viram nas redes sociais uma possibilidade de continuar presente entre o público. Em um primeiro momento, o movimento era amador: o cantor abria a câmera e se apresentava para o público, como um afago em tempos em que é preciso ficar em casa para conter o avanço da covid-19.

Porém, no dia 28 de março, aqui no Brasil, o sertanejo Gusttavo Lima foi além de um cantinho, um violão e um celular. Em uma live patrocinada que durou mais de cinco horas, ele mostrou que era possível fazer do ao vivo na internet uma fonte de renda diante das bilheterias fechadas – e atrair um grande público.

O Gusttavo Lima sempre gostou de fazer produções grandiosas. Ele enxergou que podia fazer algo maior do que um artista com seu violão tocando em casa”, diz o jornalista André Piunti, autor do site Universo Sertanejo e do livro Música Sertaneja – Uma Paixão Brasileira (volumes 1 e 2).

Diante da porteira aberta, outros artistas seguiram pelo mesmo caminho e, segundo um ranking elaborado pelo Youtube, os artistas sertanejos lideram a audiência mundial do formato. Das dez transmissões ao vivo de música com maior audiência de todos os tempos na plataforma de streaming, oito são brasileiras – sete são sertanejas. Essa audiência recorde foi conquistada nos dois primeiros meses de isolamento, entre abril e maio.

O primeiro lugar ficou com Marília Mendonça, com a Live Local, realizada em 8 de abril, que alcançou pico de 3,31 milhões de visualizações simultâneas – ou seja, enquanto a apresentação acontecia ao vivo. De lá pra cá, a live, que durou 3 horas e meia, já tem mais de 55 milhões de acessos. Marília também ocupa a 8ª posição do ranking com a live Todos os Cantos da Casa.

Em segundo está a dupla Jorge & Mateus, que em 4 de março levou 3,24 milhões de pessoas a assistirem à Live Na Garagem. Quebrando a hegemonia sertaneja, o italiano Andrea Bocelli aparece em terceiro com a apresentação na Catedral de Milão, na Itália, vazia, no domingo de Páscoa. Outro estrangeiro entre os dez artistas mais vistos no mundo foi o grupo sul-coreano BTS, com 2,31 milhões de espectadores. Gusttavo Lima ficou em 7º, com a segunda live que fez, em 11 de abril.

Piunti afirma que o sucesso dos sertanejos no Youtube veio da capacidade que artistas, empresários e produtores tiveram em se articular para criar um modelo rentável. Ele acredita que as lives devem continuar, mesmo que os shows para públicos maiores sejam liberados quando a pandemia der trégua.

Júlia Braga, head comercial da gravadora Som Livre, que tem a cantora Marília Mendonça em seu cast, diz que as lives se tornaram um meio de aproximação entre artista e público. A análise da executiva vai na mesma linha de Piunti em relação ao modelo de negócio que foi criado.

As lives patrocinadas geraram uma receita para a indústria fundamental nesse período, mas entendemos que também destravaram possibilidades futuras de parceria, mesmo após passada a quarentena. Outro ganho foi o fato de os artistas usarem sua força para arrecadações em prol de instituições e comunidades. E quando as marcas somaram nestas ações, facilitou ainda mais toda essa logística”, diz.

Marília Mendonça teve a live mais vista do mundo no
ranking do YouTube. / Foto: Divulgação