Destaques Esporte

Sérgio Coelho projeta vendas e reforça qualidade do Atlético

17 de dezembro de 2020

Novo mandatário alvinegro ressaltou a importância da montagem de um grupo forte para brigar por títulos. / Foto: Divulgação

Belo Horizonte – Sérgio Coelho, novo presidente do Atlético, ressaltou a qualidade do elenco atleticano e projetou vendas de jogadores em 2021. Nesta temporada, o clube gastou R$ 185,5 milhões em contratações.

O Atlético, hoje, tem um time, para mim, muito competitivo, muito bom, foi muito bem formado. E tem uma característica importante: são jogadores que têm mercado, têm potencial para serem vendidos, e bem”, afirmou.

Sérgio também destacou a importância das negociações para manter a saúde financeira do clube. Além disso, abordou a renovação do elenco como parte fundamental do processo de disputa por títulos.

Provavelmente, e até precisamos, alguns desses jogadores receberão propostas e deverão sair se as propostas forem interessantes para o Atlético. E temos que renovar, trazer outros, mas sempre buscando um time cada ano melhor. Só vamos conseguir mudar o Atlético para um patamar ainda maior se tivermos time competitivo. Se não tiver, não consegue, não tem como. Inclusive, é um time competitivo e forte que vai dar ao clube condições de resolver os seus problemas financeiros”, completou.

No acordo com o empresário Rubens Menin (responsável pelo aporte financeiro na contratação de jovens), o Atlético obtém o empréstimo para investir no time. Se realizar uma venda futura, devolve o dinheiro sem juros ao dono da MRV Engenharia, além de ficar com uma eventual diferença de valores. Segundo a revista Forbes, o patrimônio pessoal do magnata da construção civil gira em torno de R$ 10 bilhões.

As contratações de 2020 são Rafael (goleiro) – sem custos; Everson (goleiro) – R$ 6 milhões; Mailton (lateral-direito) – R$ 1,4 milhão; Mariano (lateral-direito) – sem custos; Guilherme Arana (lateral-esquerdo) – R$ 11,7 milhões; Bueno (zagueiro) – R$ 1,5 milhão; Junior Alonso (zagueiro) – R$ 18 milhões; Léo Sena (volante) – R$ 4 milhões; Alan Franco (volante) – R$ 12,8 milhões; Allan (volante) – R$ 16,3 milhões; Hyoran (meia) – sem custos; Nathan (meia) – R$ 18 milhões; Matías Zaracho (meia) – R$ 33,7 milhões; Dylan Borrero (meia) – R$ 4,5 milhões; Savarino (atacante) – R$ 8,6 milhões; Keno (atacante) – R$ 12 milhões; Marrony (atacante) – R$ 20 milhões; Eduardo Sasha (atacante) – R$ 9,8 milhões; Eduardo Vargas (atacante) – R$ 7,2 milhões e Diego Tardelli (atacante) – sem custos.