Destaques Geral

Sem alvará, cooperados da Casmil adiam assembleia

9 de abril de 2021

A assembleia foi convocada pelo conselho fiscal para debater a situação da Cooperativa Agropecuária. / Foto: Arquivo FM

PASSOS – A assembleia convocada pelo conselho fiscal para debater a situação da Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro Ltda (Casmil), que seria realizada nesta sexta-feira, foi adiada. A assessora jurídica dos cooperados, advogada Gabriela Amorim Pinheiro, informou que o encontro convocado por meio de editais publicados nesta Folha não será realizado devido ao município de Passos estar na onda roxa, que impede a realização de eventos desse tipo.

A advogada informou que pleiteou junto à Prefeitura de Passos a expedição do alvará para a realização da referida assembleia, porém, tal pedido foi negado. Em resposta ao requerimento pelo chefe de Gabinete Municipal, Ulisses Araújo Silva, explicou que a razão é o município estar inserido na onda imposta pelo ‘Plano Minas Consciente’ do governo do Estado, com objetivo de conter a evolução da pandemia, restabelecer com velocidade a capacidade de assistência hospitalar das macrorregiões e preservar a vida. A nova data da assembleia será divulgada na forma de um novo edital, tão logo o decreto municipal possibilite a realização do encontro.

Deixo bem claro que a AGE não foi cancelada. Fizemos uma nota avisando da suspensão da assembleia devido à manutenção da Onda Roxa, em razão da Covid-19. Não publicamos na Folha da Manhã, pois, o Estatuto da Casmil não exige qualquer formalidade para disseminação de informação a respeito de possível suspensão de assembleias, e, quando tivermos data para nova AGE, cumpriremos, como feito anteriormente, e determinado pelo estatuto, publicando novamente o edital no jornal e em outros veículos de comunicação”, contou.

A assembleia será realizada, ainda que emitam notas ou comunicados com o intuito de confundir a cabeça do cooperado e da população. Mais cedo ou mais tarde vamos nos reunir e tomar as providências cabíveis. Do jeito que as coisas estão, não podem ficar”, afirmou Amorim.

Sobre a informação publicada domingo passado por esta Folha, de que a diretoria Executiva declarou que o edital é inapropriado, ilegal, com nítido interesse de prejudicar a cooperativa e consequentemente o cooperado, Amorim revelou que de acordo com o Estatuto Social da Casmil, o Conselho Fiscal pode convocar a AGE.

O intuito do cooperado ao requerer explicações e pleitear essa assembleia. Diferentemente do alegado, é de beneficiar e recuperar a Casmil. A atual diretoria da empresa divulgou nota de esclarecimento sem qualquer assinatura afirmando que um dos conselheiros pediu demissão do cargo, mas isso deve ser discutido em ambiente apropriado. O jornal não é um local para discutir questões jurídicas. Portanto, diante de todos os argumentos utilizados no Memorando de Justificativas e em matéria já veiculada por esta Folha, o conselheiro Emerson José Cardoso Carvalho, de 89 anos, ainda é um legítimo conselheiro fiscal”, garantiu.

Ao longo de toda a tarde desta quinta-feira, dia 8, a reportagem entrou em contato com a assessoria jurídica da Casmil através de chamada telefônica e mensagens de texto, mas até o fechamento desta edição não obteve retorno.