Destaques Esporte

Seis anos depois, David Luiz desabafa sobre o 7 a 1

25 de Maio de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

SELEÇÃO BRASILEIRA – Quase seis anos depois da histórica goleada por 7 a 1 sofrida pela seleção brasileira diante da Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo de 2014, no Mineirão, o zagueiro David Luiz fez um longo desabafo sobre o jogo e as reações à eliminação do Brasil.

David Luiz lamentou ter carregado “durante muito tempo o fardo sozinho”. “As pessoas lembravam de tudo o que eu fiz na Copa do Mundo, mas no futebol, com o resultado, você apaga tudo” disse David Luiz.

“Depois de seis meses, para mim, muitas pessoas se esconderam, não quiseram obter a responsabilidade ou dividir a responsabilidade, e eu carreguei o fardo durante muito tempo sozinho” afirmou o atual zagueiro do Arsenal, sem citar nomes em seu comentário.

Titular na Copa de 2014, David Luiz herdou a braçadeira de capitão na semifinal contra a Alemanha, devido à suspensão de Thiago Silva. Em 29 minutos, a seleção alemã já goleava o Brasil por 5 a 0.

A gente não estava acostumado, a perder por dois, três gols, e dar a volta (virada). Durante essa caminhada, a gente não teve esse jogo. E, de repente, foi um baque, você está no Brasil, a gente vai ganhar, e de repente toma um, toma o segundo, e o terceiro em seguida. Um jogo em que dá tudo errado” comentou o zagueiro, entrevistado diretamente de sua casa em Londres, por vídeo conferência.

Para David Luiz, faltou à seleção brasileira esfriar a partida após sofrer o terceiro gol, aos 24 minutos, para buscar a reação no segundo tempo.

Hoje eu penso, talvez naquela altura, como capitão, se faz 3 a 0 e eu falo “Peraí, para todo mundo, vem aqui”. Talvez, se a gente fizesse essa preparação, 3 a 0, está dando tudo errado, vamos ficar aqui paradinhos, vamos para o intervalo, volta, a gente faz um gol e isso tudo aqui muda” observou David Luiz.

Mas para ter essa noção, essa preparação, você precisa viver, a acho que a gente não viveu isso antes” completou.

David Luiz durante a derrota do Brasil. / Foto: Divulgação