Destaques Esporte

Secretário rebate críticas do presidente do Passense

Por Ézio Santos / Especial

3 de outubro de 2020

Gramado do estádio Starling Soares. / Foto: Divulgação

PASSOS – O secretário de Esporte, Lazer e Juventude de Passos, Flávio Costa Sarno, contestou veementemente uma nota divulgada nas redes sociais pela direção do Clube Esportivo Passense. No texto, é feita uma crítica à lentidão da administração pública para promover as adequações no estádio municipal Geraldo Starling Soares, local em que o clube pretende sediar os jogos do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão. A disputa começa em 21 de novembro, mas o alviverde estreia no dia 28 do mesmo mês, em São Sebastião da Bela Vista, contra o Santarritense, de Santa Rita do Sapucaí. De acordo com o presidente do Passense, Rogério Santos, foram realizadas inúmeras reuniões com o secretário, mas, apesar de ele ter se prontificado a auxiliar o clube no seu retorno às atividades profissionais, até o momento nada foi feito.

A diretoria do Passense tem prazo para apresentar as adequações do estádio e dos espaços solicitados pela Federação Mineira de Futebol, mas o descaso por parte da prefeitura é gigantesco. Não vamos mandar os jogos fora de Passos, como foi feito com a outra agremiação profissional do município. Todo suporte foi solicitado [ao Passense] e, da parte que cabe ao clube, foi disponibilizado, mas por questões legais e pelo Passense não ser o gestor do estádio, estão sendo criadas várias situações negativas para a participação na Segundona. Inúmeros parceiros precisam ter a certeza dos jogos no Starling para iniciar seus auxílios financeiros. A Secretaria de Esporte e seu titular não se importam com a fomentação do esporte municipal”, disparou.

Santos afirma que o Passense talvez seja o único clube – dos que vão disputar a Segunda Divisão – que não tem apoio da administração municipal.

É lamentável tal postura de um órgão que deveria realizar a fomentação, e não é porque estamos em período de pandemia que as atividades devem parar. De todas as equipes que vão disputar o campeonato, Passos é uma das poucas, se não for a única, que a prefeitura ainda não apoiou da forma necessária. Os treinamentos estão sendo realizados em municípios vizinhos porque o secretário não pode desagradar os seus parceiros políticos. A diretoria do alviverde não vai medir esforços para que tudo flua bem, mas se depender da Secretaria de Esporte, cada dia piora mais”, desabafou.

Por sua vez, Sarno afirma que o Passense não lhe entregou oficialmente as demandas determinadas pela FMF em relação ao estádio municipal.

Estou fazendo de tudo para deixar o Starling em condições de jogo. Na verdade, através de um acordo de colaboração, a diretoria não está cumprindo com suas obrigações, como por exemplo, materiais em geral. A mão de obra é por nossa conta. Até hoje, só o gramado está sendo recuperado, assim mesmo, com ajuda de terceiros, porque as placas de grama, o Passense ainda não entregou. Faltam adequações nos bancos de reservas e do mesário, que dependem também do clube”, declarou.

Conforme o secretário, tudo o que está ao alcance da Prefeitura tem sido feito, mas o clube precisa cumprir a sua parte.

Na medida do possível, secretaria está fazendo o que pode para ajudar o Passense. Está à disposição dos jogadores a Praça Municipal de Esportes Baru de Pádua (ginásio, pista de atletismo e quadra da areia). Vieram solicitar transporte dos atletas, mas expliquei a eles que nesta época do ano isso não é permitido por causa das eleições. E tem mais: já estou sabendo que pretendem ir na Secretaria Municipal de Saúde solicitar exames para diagnosticar a covid-19, o que será negado pelo mesmo motivo, além de serem caríssimos. Se a diretoria do clube andar com suas obrigações em dia, não há como reclamar e falar inverdades. Estou todos os dias no meu gabinete para conversar numa boa com qualquer membro da diretoria. É assim que se resolvem as pendências”, disse.