Destaques Geral

Seapa faz acompanhamento de casos de raiva na região

5 de agosto de 2022

A pasta está alinhada com os órgãos competentes que fazem estudos e análises de casos de raiva animal para acompanhamento./ Foto: Divulgação.

PASSOS – Diante da confirmação de casos de raiva bovina na região, com registros em Muzambinho, Fortaleza de Minas e uma suspeita em Piumhi, o secretário de Meio Ambiente, Agropecuária e Abastecimento da Prefeitura de Passos, Sebastião Domingos, o Neném da Manoela, informa que a pasta está alinhada com os órgãos competentes que fazem estudos e análises de casos de raiva animal para acompanhamento.

“O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que funciona dentro das dependências do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (SinRural), não tem nenhuma notificação nos últimos dois anos. Fomos informados ainda hoje pelo chefe do escritório do IMA, Marcos Lemos, que houve a realização de duas coletas neste ano, e que em ambas deram negativo o resultado para raiva animal”, afirma.

Segundo a prefeitura, informação repassada pelo diretor de Saúde Coletiva, Thiago Salum, é de que há três anos não há qualquer notificação de raiva em animais de grande porte (equinos, bovinos, suínos e muares) nem em animais de pequeno porte (cães e gatos) em Passos.

Muzambinho

Subiu para seis o número de casos positivos de raiva em animais bovinos em Muzambinho. Os resultados de mais um animal contaminado foi confirmado nesta quinta-feira (4) pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Segundo a assessora técnica animal da coordenadoria regional do Ima de Poços de Caldas, Luzia Adão e Silva, o animal pertencia ao produtor do primeiro foco de raiva bovina no município.

Conforme a coordenadora, uma bezerra também possui sintomas da doença na cidade. De acordo com ela, o animal é de outra fazenda de Muzambinho.

O Departamento de Agricultura da Prefeitura de Muzambinho juntamente com a Vigilância Sanitária confirmaram no dia 23 de julho que três cabeças de bovinos que testaram positivo para a raiva morreram nas últimas semanas. Na semana passada, dois novos casos foram confirmados.

Ainda conforme a prefeitura, havia outras suspeitas informadas por produtores que relataram que alguns de seus animais morreram com sintomas da doença.