Destaques Geral

São Tomás de Aquino comemora 136 anos de fundação nesta 5ª

Por Adriana Dias / Redação

8 de julho de 2021

Foto: Divulgação

S.T. AQUINO – Com cerca de 7 mil habitantes, o município de São Tomás de Aquino comemora nesta quinta-feira, 8 de julho, 136 anos de fundação. A administração municipal preparou uma semana de comemorações dentro das possibilidades que a pandemia permite.

O prefeito Daniel Ferreira da Silva, que era vice-prefeito e assumiu o cargo em virtude do falecimento de Roneido Teófilo, vai conversar com a população durante uma entrevista à rádio local. Também será veiculado um vídeo comemorativo nas redes sociais, que foi elaborado pelo diretor municipal de Cultura, Luiz Carlos Martins da Silva.

A partir das 10h, uma caminhonete com som e as bandeiras passará pelas ruas da cidade tocando o Hino de São Tomás e, às 11h, terá o descerramento da placa na pracinha do Santo Tomás de Aquino, quando serão soltos 136 balões nas cores verde, vermelho e azul. A bandeira da cidade ficará hasteada das 8h às 17h.

O maior presente que o aquinense ganha hoje é uma gestão totalmente preocupada em cuidar das pessoas. Promovendo uma boa Saúde, Educação de qualidade, cuidado com meio ambiente e boa administração do dinheiro público. É o dinheiro do povo, voltando para o povo em forma de benfeitorias”, disse o prefeito.


História

A história de São Tomás de Aquino se diferencia das demais cidades devido à forma como se deu sua fundação. Enquanto a maioria surgiu através de uma exploração econômica já existente, a cidade de São Thomaz surge a partir da filosofia de uma ideia, ou seja, da devoção de um sacerdote chamado Cônego Thomas de Affonseca e Silva por um dos maiores doutores da igreja católica, Santo Tomás de Aquino.

Em 1874 o Cônego Thomas é transferido da paróquia de Carmo do Rio Claro para a paróquia de Piedade do Mato Grosso do Batatais (hoje Altinópolis-SP). Neste ano um desejo guardado em seu coração toma materialidade quando ele encomenda ao escultor Vespúcio de Bulhões uma imagem do Doutor Angélico Santo Tomás de Aquino para introduzi-la em uma capela e assim desenvolver uma paróquia em nome do santo.

Porém, em 1875 ele é transferido para a paróquia de Nossa Senhora da Penha do Rio do Peixe (hoje Itapira-SP), onde permaneceu até o ano de 1883, conservando consigo a imagem. De Itapira ele seria transferido para a paróquia de Queluz, mas em virtude do falecimento do vigário Joaquim Ferreira Teles da paróquia de São S. Paraíso, o Bispo Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho o envia para assumir a paróquia paraisense em 1884.

No ano seguinte em meados do mês de abril em contato com o fazendeiro João Thomas de Sant’ Anna manifestou o desejo de eregir uma capela em devoção ao santo naquela região. Depois de discutirem o assunto, João Thomas juntamente com outros fazendeiros como Jeronimo A. Rodrigues e Clemente Sant’ana resolveram juntos contribuir com o vigário em prol de sua obra. Chegaram a um consenso sobre o terreno e juntos reunirão a quantia de um conto de réis para a compra de 10 alqueires de terras, na fazenda da Fortaleza de propriedade do fazendeiro Jeronimo Alves Rodrigues que por sua vez doou 2 alqueires perfazendo um total de 12.

As escrituras de venda e doação foram passadas no dia 20 de junho de 1885. Dezoito dias depois no dia 08 de julho juntamente com centenas de pessoas celebrou a primeira missa em um templo provisório, lançando a pedra fundamental do povoado. Dois anos depois foi criado o distrito policial em 1887 pelo governo da capital na época em Ouro Preto. Com o progresso em 1889 o povoado é elevado a curato e em 1890 pelo decreto nº 7 do artigo 2º é elevado à categoria de freguesia de São Thomaz de Aquino, ficando sobre a administração política do município de São Sebastião do Paraíso.

Com um crescimento constante no final da década de 10 inicio de 1911 iniciou o processo de luta pela administração política. Depois de 12 anos de luta em 1923 pela lei de nº 843, finalmente o Distrito ou freguesia de São Thomaz de Aquino conquista sua autonomia política, sendo elevado categoria de município, assumindo assim as rédeas de sua própria administração. Já no ano de 1953, uma lei municipal alterou a grafia do nome da cidade de São Thomaz de Aquino, para São Tomás de Aquino, eliminado o “H” e substituído a letra “Z” pelo “S”.