Destaques Geral

Santo Agostinho tem projetos de granja e tanque

2 de junho de 2021

HOJE A HORTA PRODUZIR VERDURAS SUFICIENTES PARA ALIMENTAR GRATUITAMENTE CENTENAS DE PESSOAS :/ Divulgação

PASSOS – Um exemplo de solidariedade comunitária que deveria ser seguido por entidades e órgãos de cunho social, além de prefeituras, é o trabalho desenvolvido pela Associação Espírita Santo Agostinho de Passos, que mantém a Horta Solidária Casa do Caminho. Diariamente, são produzidas diversas espécies de verduras e distribuídas gratuitamente para várias instituições assistenciais do município, incluindo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda (Sedest).

A Horta Solidária da Casa do Caminho produz constantemente apenas alimentos com folhagem. O coordenador revelou que são colhidos cerca de mil molhos ou pés de alface, couve, brócolis, cheiro verde, almeirão, rúcula e acelga. “Antes da pandemia parte ia para seis creches. Hoje entregamos para quatro entidades e a Sedest”, destacou. “Estamos ampliando a área de cultivo para plantar legumes. Há dois projetos em fase de elaboração, mas para o futuro, que são uma granja de frangos, e um tanque para peixes”, declarou Arnaldo David Maia, de 66 anos, membro da diretoria da associação espírita e aposentado.

O sítio, distante seis quilômetros do perímetro urbano, sentido Belo Horizonte, possui área de seis hectares, e foi doado pela prefeitura há mais de dez anos.

“Pelo projeto da associação, era para ser um enorme albergue, cuja obra foi interrompida por falta de recursos. Depois se pensou em uma casa de saúde, que também não foi adiante. Depois do local ficar muito tempo abandonado, achei que parte das terras virassem uma horta comunitária, principalmente porque elas são riquíssimas, abundantes em água. Hoje é a maior e principal de Passos e beneficiando centenas de pessoas”, afirmou Arnaldo.

O promotor de Justiça, Antônio José de Oliveira, e o juiz do Trabalho, Victor Luiz Berto Salomé Dutra da Silva, ambos residentes em Passos, foram os responsáveis mais importantes para que a horta passasse a produzir apenas verduras há pouco mais de três anos.

“Os dois trouxeram recursos que foram investidos em equipamentos, insumos e sementes, ou seja, deram o pontapé inicial. Aliás, os doutores Antônio e Victor, são nossos maiores incentivadores desse tipo de cultura que traz só benefícios. Exemplos são as da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) e do presídio no bairro Jardim Aclimação”, ressaltou.

Para o promotor, as hortas comunitárias trazem para a população a responsabilidade e consciência sobre o meio ambiente.

“Onde há um terreno baldio particular, ou uma área pública cheia de mato que pode se tornar um criadouro de animais peçonhentos, por exemplo, o correto é transformar os locais numa realidade benéfica, e envolvendo toda a comunidade no entorno. Pode-se cultivar além de verduras e legumes, plantas medicinais e repelentes. É o chamado Bolsão Verde. Mais do que isso tudo, é termos a noção de que vivemos numa comunidade que fazemos parte dela, não isoladamente”, realçou.

A associação tem apenas um funcionário que reside no sítio. Arnaldo contou que Valdir Aparecido de Araújo é experiente na área de cultivar verduras e legumes, além de ser bastante competente e trabalhar diariamente entre 5h e 17h.

“Posso dizer que é um profundo entendido no que faz. Sabe tudo, apesar de não ser diplomado. Aprendeu na escola da vida. Não se usa agrotóxicos nas plantas. Se necessário, apenas um pouco de herbicidas produzidos sem veneno”, acrescentou Arnaldo.

Atualmente, Formiga possui a Horta Municipal Comunitária que é modelo no Estado. São 15 hortas espalhadas pelo perímetro urbano e periferia, produzindo 15 toneladas de alimento por mês.

“E lá eles têm dificuldade em conseguir água. Contam com ajuda de um caminhão-pipa. Em Passos, nós estamos à disposição de qualquer pessoa que queira lidar com plantas leguminosas e folhagem. Através do nosso trabalho na Horta Solidária, me sinto muito feliz ao ver as crianças das creches aprenderem a gostar de verduras. É gratificante demais”, comentou.