Cidadania Destaques

Sagrada Família terá ala para mulheres dependentes de drogas

Por Ézio Santos / Especial

12 de setembro de 2020

COM QUASE TODAS AS PAREDES LEVANTADAS, O PRÓXIMO PASSO É INSTALAR A COBERTURA COM TELHAS. / Foto: Divulgação

PASSOS – O primeiro local, na região, destinado exclusivamente ao acolhimento de mulheres dependentes de drogas está sendo construído pela Comunidade Terapêutica Sagrada Família (CTSF). A entidade passense recebe há 20 anos homens que desejam se livrar do vício de álcool e outros tipos de entorpecentes. Em andamento desde setembro do ano passado, as obras devem ser concluídas entre a metade e o fim de 2021.

O bloco feminino terá 580 m² e capacidade para acolher até 20 pessoas. São sete quartos, além de berçários, escritório, consultórios médicos, almoxarifado, salas de reuniões, garagem e outras dependências para o atendimento a mulheres em situação de vulnerabilidade social. De acordo com o conselheiro fiscal da CTSF, José Carlos Faria, a diretoria não calculou o orçamento da obra, mas acredita gastar no mínimo R$ 300 mil.

Nós somos iguais às formiguinhas. Trabalhamos com o que temos e aos pouquinhos. Não fossem a generosidade das pessoas, os familiares dos internos, a persistência da diretoria, já tínhamos fechado a entidade há muito tempo. Quem vai cuidar dos drogados que desejam se livrar da obsessão?”, questionou.

Desde 2000, a CTSF possui uma área com cerca de três alqueires de terra, denominada Fazendinha da Sagrada Família. O local fica à margem da rodovia que liga Passos a Fortaleza de Minas. A ala masculina comporta até 48 pessoas, inclusive de outras cidades. Faria conta que a CTSF é uma entidade reconhecida como de utilidades pública municipal, estadual e federal. Nós sobrevivemos com recursos mensais do governo federal e, periodicamente, do município, mas são insuficientes para atender a toda a demanda.

O restante do dinheiro para cobrir as despesas com funcionários e os internos é captado através de eventos beneficentes, pagamentos mensais via carnês, doações em dinheiro, alimentos, materiais de construção, higiene pessoal e limpeza que recebemos de voluntários Passos e cidades da região. Para quem quiser contribuir com a gente, é só ligar no número 3521-0682”, disse.

O tratamento tem duração de nove meses, com índice médio de 36% de recuperação, se o interno seguir todos os protocolos da equipe de apoio, formada por profissionais como psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas e conselheiros da entidade.

Nosso gasto com alimentação diária gira em torno de R$ 7 mil por mês. São servidos café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia noturna”, explicou Faria.

Além das atividades diárias, todas as quartas-feiras, às 19h30, acontece a reunião do Núcleo de Apoio aos Toxicômanos e Alcoólatras (Nata), aberta a qualquer interessado que seja viciado e a seus familiares.

Sonho

Devido ao fato de ter aumentado muito a dependência química entre as mulheres, a presidente da Sagrada Família, Silvânia Aparecida Moura Faria, esposa do conselheiro José Carlos Faria, decidiu iniciar as obras antes do término de seu mandato, em 2021.

É preocupante o quanto essas mulheres sofrem com o uso da droga. Além de se prostituírem e sofrerem descriminações, tem o fato da gravidez não esperada. Para piorar, a gestação não recebe nenhum cuidado ou pré-natal”, afirmou.

As crianças geradas no mundo das drogas ilícitas, também conhecidas como ‘filhos do crack’, vem nos tocando muito. Vejo muitas mulheres grávidas e já penso o que será feito da criança. Além de sofrer abstinência de quase tudo ao nascer, isso quando conseguem chegar até o final da gravidez, apresentam outros vários tipos de problemas. Não há muitas comunidades terapêuticas femininas no Brasil. Por isso, resolvemos abraçar essa causa, buscar a mulher de volta para a sociedade para ter uma vida íntegra, resgatando valores perdidos pelo uso das entorpecentes, devolvendo a elas a autoestima e uma qualidade de vida melhor. Minha intenção é mostrar a cada uma delas que existe vida depois das drogas”, declarou Silvânia.

A presidente conta que a prefeitura de Itaú de Minas cedeu por 10 anos à CTSF, em regime de comodato, a sede do ex-clube social, localizada na extinta vila residencial da Usina Morro do Níquel.

Ainda não assumimos a administração do local, mas, com certeza, em breve virá nos ajudar muito, e a nossa responsabilidade vai aumentar também. Agradeço de coração a todas as pessoas envolvidas no processo de repasse do imóvel”, finalizou.