Destaques Geral

Roteiros da Fé traz hoje a Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos

Por Adriana Dias / Redação

18 de julho de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – A música que brinda o vídeo desta semana do projeto Roteiros da Fé, escolhida por Celso Faria tocar ao violão para a paróquia Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos foi ‘Estudo em sol maior’ (andantino), do italiano Ferdinando Maria Meinrado Francesco Pascale Rosario Carulli. O músico foi um dos mais famosos compositores clássicos e violonistas da história, além de ser o autor do método completo para violão mais conhecido no mundo, o qual continua a ser usado. Escreveu mais de 400 obras em 12 anos.

A segunda igreja escolhida para o Roteiros da Fé é a Matriz, como é carinhosamente chamada pela população de Passos, e representante do padroeiro do município: Senhor Bom Jesus dos Passos. É uma igreja que em 1829, o bispo de São Paulo autorizou a construção da capela, que foi inaugurada em 1833. A grande igreja teve início em 1879, e, em 1894, as grandes torres já estavam concluídas.

Entre 1925 e 1929, passou por grandes reformas – o altar foi afastado, as torres aumentadas, as campas do assoalho foram retiradas, o forro foi restaurado e foram executadas pinturas sacras. O altar-mor em mármore foi construído em 1971. No final do século 20, novas obras foram realizadas.

A decoração interna possui obras de vários artistas, dentre eles, Jerônimo Neto, que executou as pinturas do forro da nave, das capelas laterais e das laterais do altar-mor. Jerônimo contou com a colaboração de João Gralha, mais conhecido como João Graia, que foi o responsável pela marmorização das madeiras.

Já o artista Varo Clementoni foi o responsável pela pintura no centro do altar. Roberto Cavour pintou o quebra-vento e José Barbosa de Andrade Silva, o Zé da Beca é o autor da escultura “Quo Vadis”, em madeira.

Na área interna da Matriz, estão duas placas em homenagem a Jeronymo Pereira de Mello e Souza, o barão de Passos e da baronesa Bárbara Áurea de Mello e Souza, que já estiveram sepultados na matriz.

No adro encontra-se o Marco do Sesquicentenário da Paróquia Senhor Bom Jesus dos Passos. No dia 3 abril de 1990, foram enterrados em uma caixa de vidro um livro com assinaturas colhidas no dia, jornais, dentre eles a Folha da Manhã, moedas, cartas de pessoas da cidade que serão lidas no bicentenário da Paróquia em 2040. Nos cantos da caixa estão estampadas as bandeiras do Vaticano, do Brasil, de Minas Gerais e de Passos. Em uma placa, estão os nomes de várias crianças que presenciaram a cerimônia; espera-se que elas estejam reunidas no dia da abertura da caixa.

O atual pároco da Matriz, Padre Sandro Henrique Almeida dos Santos disse que esta iniciativa da Folha da Manhã de ressaltar os lugares religiosos, locais de oração e, que muitos chamam de turismo religioso, é imprescindível, principalmente neste tempo que de pandemia.

A igreja da Matriz é o ponto central da cidade. Ficamos felizes em divulgar toda a estrutura da igreja da Matriz, como é carinhosamente chamada. Neste ano completamos 180 anos de paróquia. A igreja como é hoje tem mais de 150 anos. Realmente é um patrimônio da cidade, com sua beleza, com todo seu afresco artístico, toda a catequese através das pinturas. E, fazer com que as pessoas conheçam ainda mais a paróquia da Matriz, o porquê Passos chama-se Passos, que tem a ver com a devoção ao Senhor Bom Jesus dos Passos. Então, realmente é um momento forte para que o passense fortaleça sua devoção ao padroeiro da cidade e o carinho que têm com a igreja, mesmo que more e freqüente outra igrejas, quando vai ao centro, inevitavelmente ele entra na Matriz, pois é uma referência para todo o católico passense e turistas de toda região”, afirmou o padre.

O projeto foi idealizado e produzido pela jornalista Adriana Dias, conta com as imagens e filmagens de Douglas Arouca, músicas ao violão de Celso Faria, gravação e mixagem de Denilson César dos Reis, criação do logo de Armando Vidigal.

Para assistir ao vídeo basta entrar no link: https://clicfolha.com.br/folhaplay/roteiros-da-fe-matriz-senhor-bom-jesus-dos-passos/

Projeto é composto por 24 igrejas

PASSOS – O projeto Roteiros da Fé é composto pelas paróquias de Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos com a Igreja de São Francisco; o Santuário Santo Anibal Di Francia (Educandário); a Capela de São Vicente (dentro do Lar dos Idosos); a Capela do Colégio Imaculada Conceição (CIC). Pela paróquia Matriz de São Benedito com a Igreja de Nossa Senhora do Rosário; a de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Capela São Miguel (Cemitério Municipal).

Também a paróquia São José, a paróquia de Nossa Senhora Aparecida que tem como igrejas a de Santos Reis e Santa Luzia e a Capela do Carmelo São José. Ainda a paróquia de Nossa Senhora da Penha que tem a Capelinha Centenária da Penha (patrimônio histórico tombado); a de São José do Valinho e a Capela da Santa Casa e Santo Antonio de Pádua.

Ainda compõem o roteiro as paróquias de São Luis Montfort; a paróquia de Nossa Senhora de Fátima que tem a igreja da Sagrada Família; a paróquia de Nossa Senhora das Graças que conta com a igreja de Santa Rita e a paróquia de São Judas.

A única igreja, dentro deste primeiro momento da série que será na zona rural será a Capela Bom Jesus da Lapa, na Usina Rio Grande, como forma de agradecimento ao violonista Celso Faria, uma vez que a edificação daquela igreja foi feita por seu avô Domiciano Fernandes da Silveira e sua avó Ponciana de Souza Silveira.