Destaques Geral

Roteiros da Fé: Capela São Pedro Claver e Santo Expedito: dois santos dividindo o altar

Por ADRIANA DIAS / Da Redação

26 de dezembro de 2020

A Capela São Pedro Claver e Santo Expedito fica na Vila São José, em Passos e foi construída em terreno doado por Shirley Andrade e pelas irmãs Missionárias de São Pedro Claver. / Foto: Adriana Dias

PASSOS – A Capela São Pedro Claver e Santo Expedito é relativamente nova, muitos passenses nem sabem da sua existência. Até pouco tempo era considerada de zona rural, pois foi construída na área do chacreamento Vila São José, porém, atualmente este espaço territorial foi classificado para zona urbana, e, portanto, será o 25º vídeo da série Roteiros da Fé. Para quem acompanha, a Folha vem divulgando que seriam 24 e uma da zona rural para homenagear todas as outras igrejinhas das fazendas da região. O dia dedicado à São Pedro Claver é 9 de setembro e tem templos em Cartagena, na Colômbia, em São Paulo, Bebedouro e Passos, na rua Nossa Senhora Aparecida, 300, na Vila São José. Já Santo Expedito é comemorado dia 19 de abril e tem uma grande devoção mundial.

Foto: Douglas Arouca

A música escolhida para este vídeo foi ‘Estudo em Dó maior’, do italiano Mauro Sergio Giuseppe Pantaleo Giuliani, que foi um violoncelista, violonista e compositor. A música foi tocada pelos dedilhados do violão do passense Celso Faria. De acordo com padre Francisco Clóvis Nery, pode causar estranheza para muitos o fato de a igreja na Vila São José ter como padroeiros dois santos, mas isso é possível, é comum isso acontecer.

A Vila São José ia aumentando e bairros próximos sendo habitados por novos moradores. Celebrávamos em garagens ou chácaras junto ao povo ali residente. Num primeiro momento a igreja seria dedicada apenas a São Pedro Claver, em gratidão à Congregação das irmãs Missionárias de São Pedro Claver, com a ajuda econômica que tivemos do Conselho Geral na Itália por duas vezes, por ajuda na aquisição de um dos lotes e o outro lote foi doado por Shirlei Andrade, que tinha um bar nas proximidades”, afirmou.

Ainda conforme o padre, que já não está mais em Passos, que é importante escutar o clamor do povo.

Tive conhecimento através de Miria Nogueira, secretária paroquial, da grande devoção que já existia na paróquia a Santo Expedito, desde o tempo de padre Arnaldo Bellucci, sendo que a imagem ficava em um dos altares laterais do Santuário Nossa Senhora da Penha. Muitos e muitos fiéis, ainda hoje, procuram no Santuário pela imagem de Santo Expedito para suas orações, o Santo que nos aponta o hoje e que não deixemos para amanhã o bem que podemos fazer agora”, afirmou Nery.

Desta maneira a Igreja a capela foi construída, em 2014, de modo a valorizar o rústico, a madeira e a técnica de pintura em azulejo da Sagrada Família. Pudemos concluir as obras com a ajuda dos fiéis, com eventos e doações de devotos e dedicada a Santo Expedito (o Santo padroeiro das causas justas e urgentes) e São Pedro Claver (o Santo dos negros da América) e Passos tem uma grande população afrodescendente.

Devemos ter evidente que a grande consagração e a adoração é a Deus Trino, depois a veneração à Virgem Maria e, por fim, a devoção aos Santos que passaram pela terra, pessoas humanas como todos nós, mas que venceram pela fé”, salientou padre Clóvis, como é conhecido em Passos.

A zeladora Maria Aparecida de Andrade Eustáquio, a dona Cida, contou que é a pessoa responsável pelos cuidados com a capela desde o início das obras.

Meu irmão, o empresário Shirley Andrade foi quem doou um dos terrenos para a construção da igreja, em 2013. Ele morreu antes de ver a obra concluída. Cuido com amor, aqui pra mim é tudo. Brinco que estou inspirada pelo Shirley, porque eu quem cuido, que faço tudo aqui. Começou a construir e ele morreu”, afirmou Cida.

A capela foi idealizada por padre Francisco Clóvis Nery, que à época era o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Penha. A construção traz certa rusticidade e o encontro do teto com as paredes era feito de vidro, para entrar iluminação e não havia janelas. As paredes são em tijolos rústicos aparentes. Tem capacidade para 140 pessoas sentadas em bancos de madeira.
Após a construção da Paróquia São Luís Maria Grignion de Montfort, a capela passou a fazer parte da nova paróquia por uma questão de divisão territorial.

As laterais foram construídas de vidro para clarear a igreja, mas os vidros estavam quebrando e caindo, com isso o padre José Benedito dos Santos, padre Zezinho, orientou que trocássemos estes vidros por calhas e foram feitas janelas para entrar iluminação e ventilação. Outra mudança feita por padre Zezinho foi a construção do altar em um nível mais alto. Aqui era no chão, tudo reto, aí o pároco achou melhor fazer o altar. O quadro do Bom Pastor que ficava no altar perdeu algumas peças, retiramos e agora colocamos o Jesus Misericordioso, que o grupo de oração ganhou. Na parte da entrada tem um grande quadro com a Sagrada Família feita na época da construção. O arquiteto responsável pela obra foi André Nery e sua esposa Patricia Medrano Bravo”, disse Cida.

A zeladora contou que as missas normalmente acontecem às 17h aos domingos. O grupo de oração, antes da pandemia, era realizado às 19h nas segundas-feiras e, os frequentadores são de várias regiões da cidade, muitos que são devotos de Santo Expedito e, claro, os que sabem de São Pedro Claver.

O projeto Roteiros da Fé foi idealizado e produzido pela jornalista Adriana Dias, conta com as imagens e filmagens de Douglas Arouca, músicas ao violão de Celso Faria, gravação e mixagem de Denilson César dos Reis e criação do logo de Armando Vidigal. O vídeo desta igreja pode ser visto em: https://clicfolha.com.br/folhaplay/roteiros-da-fe-capela-sao-pedro-claver-e-santo-expedito/

A 26ª reservamos para a Capela Bom Jesus da Lapa, da zona rural, nas terras da antiga Usina Rio Grande, que será a homenagem às incontáveis capelinhas da zona rural de Passos, finalizando assim em janeiro os templos católicos.


São Pedro Claver viveu 40 anos entre os escravos

PASSOS – O Papa Leão XIII, ao canonizar São Pedro Claver, declarou: “Pedro Claver é o santo que mais me impressionou depois da vida de Cristo”. Nasceu em Verdú, região da Catalunha, na Espanha, em 1580. Desejando os piedosos pais consagrar o filho ao serviço do altar, enviaram Pedro à Salsona para estudar os primeiros elementos da gramática. Com 15 anos, o Bispo de Salsona conferiu-lhe a primeira tonsura e, aos 21 anos, entrou na Companhia de Jesus em Barcelona. Pedro era devotíssimo da Virgem Maria e um profundo adorador de Jesus Eucarístico.

Após os estudos, Pedro foi ordenado sacerdote e enviado como missionário à Cartagena, porto da Colômbia, onde viveu seu apostolado entre os escravos por mais de quarenta anos. Em Cartagena, Pedro Claver estava diante de um dos três portos negreiros da América Espanhola, onde, a cada ano, chegavam de 12 a 14 navios carregados de escravos. Os escravos trazidos ou “roubados” da África ficavam durante a viagem nos porões escuros do navio, que não tinham condições para abrigar seres humanos. Eram tratados com menos cuidado do que os animais selvagens, e por fim os que não morriam, eram vendidos.

Sem dúvida, o mercado dos escravos foi a página mais vergonhosa da colonização das Américas. Muitos missionários levantaram a voz contra esta desumanidade, mas sofriam perseguições e eram expulsos. O Papa proibiu repetidas vezes o comércio de escravos, mas a voz da Igreja não comovia a dureza dos comerciantes nem das autoridades.

Durante mais de quarenta anos, a vida de Pedro Claver foi servir àqueles escravos, cuidando deles, do físico ao espiritual. Claver fazia de tudo para evangelizar um por um. Por suas mãos passaram mais de trezentos mil escravos. No dia 3 de abril de 1622, Pedro Claver acrescentou aos votos religiosos de sua profissão mais um voto: o de gastar a vida inteira ao serviço dos negros escravos. Testificando este voto, escreveu de próprio punho: “para sempre escravo dos negros”. Vítima da caridade, acabou morrendo em 1654, com 74 anos de idade e 52 anos de vida religiosa, quando ao socorrer o Cristo excluído e chagado, pegou uma terrível peste. Foi declarado pelo Papa Pio X especial patrono de todas as missões entre os negros.

A Igreja de São Pedro Claver é um templo colombiano de culto católico dedicado a São Pedro Claver, cujos restos se encontram em seu altar maior. Localiza-se no canto da rua 31 com a carreira 4, justo em frente à Praça da Aduana, em pleno setor histórico da cidade de Cartagena de Índias. Pertence à jurisdição eclesiástica da arquidiocese de Cartagena de Índias e é administrado pela Companhia de Jesus. O templo faz parte de um conjunto de edifícios religiosos que se complementa com o Claustro de São Pedro Claver e o museu arqueológico. Foi construído entre 1580 e 1654, baixo os parâmetros das construções coloniais. Originalmente foi conhecida como igreja de San Juan de Deus, a partir de 1622 se chamou igreja de San Ignacio de Loyola e na atualidade recebe o nome de São Pedro Claver.

Foto: Adriana Dias