Destaques Geral

Roteiros da Fé: Capela Beato Antônio Frederico Ozanam, do Lar São Vicente de Paulo

5 de dezembro de 2020

A Capela Beato Antônio Frederico Ozanam foi construída e inaugurada em 1983 e conta com uma obra de arte de José Barbosa de Andrade e Silva, o Zé da Beca. / Foto: Douglas Arouca

PASSOS – Simples, singela, clara, iluminada. Estas são as principais características da Capela Beato Antônio Frederico Ozanam, do Lar São Vicente de Paulo, em Passos. Com capacidade para 240 pessoas sentadas, em bancos largos de madeira, o espaço religioso foi construído em 1983. Em tempos normais a igreja tem missas aos domingos às 9h30 e às quartas-feiras, às 10h, fazendo parte da Paróquia da Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos. Para abrilhantar o vídeo que acompanha este material no ClicFolha.com.br, o violonista passense, Celso Faria, tocou ao violão o Estudo em Sol maior, de Fernando Sor.

Assim como outros templos religiosos dos quais o Roteiros da Fé divulgou, esta capela faz parte de uma instituição, no caso o Lar São Vicente de Paulo, mantido pela Sociedade de São Vicente de Paulo, e, não seria possível contar a história da igreja sem falar da importância de onde ela está inserida.

Tudo começou em Paris, na França Assim, em abril de 1833, quando alguns jovens estudantes, católicos fervorosos, eram insultados por colegas ateus, que lhes diziam: “vocês vivem do passado! Onde estão os frutos produzidos pelo Cristianismo de vocês?” Depois de refletirem sobre o assunto, concluíram que os ateus tinham razão.

Afinal, fé que não produz frutos é morta. A partir daí, estes jovens, liderados por Antônio Frederico Ozanam, decidiram: “vamos aos pobres”! E iniciaram o trabalho de visita às famílias carentes e reuniões semanais para tratar desses assuntos. Levaram assistência material e espiritual aos menos favorecidos, colocando o Evangelho em prática: servir a Jesus Cristo na pessoa dos pobres. Nasceu a Sociedade de São Vicente de Paulo. O nome dado à capela de Passos é justamente em homenagem ao líder do movimento

Rapidamente, o número de participantes aumentava, fazendo-se necessária a divisão em grupos, chamados de “Conferências”, que foram multiplicando-se. Em pouco tempo, saiu do território francês estando, hoje, presente em 147 países.

Exatamente 99 anos depois, a Sociedade de São Vicente de Paulo iniciou os trabalhos em Passos. Ela está presente na cidade desde 1932, quando foi fundada a primeira Conferência Vicentina e logo a Vila Vicentina, nas proximidades da igreja de São Francisco.

Dentro de uma reorganização, que seguia o modelo da SSVP em todo o mundo, no ano 2.000 a Obra Unida Lar São Vicente de Paulo passou a ter uma diretoria própria, que é responsável também pela gestão das unidades geradoras de renda.

Conforme explicou o presidente da SSVP, Joaquim Leonel Soares, a sociedade foi fundada com os preceitos da religião católica. “Todas os lares asilares contam com a capela, com imagens de São Vicente de Paulo e também do beato Antônio Frederico Ozanam. Nossa Senhora, São José, enfim, os santos católicos. É um espaço que temos para estes momentos de oração, contemplação”, afirmou.

As conferências

A primeira Conferência Vicentina criada em Passos, em 1932, colocou como meta a construção da Vila Vicentina. A pedra fundamental foi lançada em 1º de março de 1934, em área da qual parte foi doada por Belmira Osório Lemos (3,40 hectares) e parte doada pela Prefeitura Municipal (13.531 m²), na gestão de Lourenço Ferreira de Andrade.

Em 8 de dezembro de 1948 foi feito o lançamento da pedra fundamental do Asilo Vicentino, inaugurado em 6 de janeiro de 1955, que até os anos 90 ainda funcionava como ‘Casa de Oração’, e posteriormente o prédio, que se localizava no final da Rua Dr. Saturnino, foi demolido. Hoje é o ‘Jardim Continental’, dentro do bairro São Francisco.

Em 1967, com recursos da ordem de Cr$20.000,00 (vinte mil cruzeiros) liberados pela Prefeitura Municipal, gestão de José Figueiredo, e aprovação da Câmara, foi adquirida uma área da Chácara São Francisco. Posteriormente, com recursos próprios, foram adquiridos cerca de 7 hectares. Inicialmente, o objetivo era de se produzir nesse sítio com área total de 22 alqueires os mantimentos necessários aos acolhidos da Vila Vicentina.

Naquela época, o único acesso à ‘chácara’ era pela Rua São Francisco, até que a Prefeitura de Passos abriu a avenida Arlindo Figueiredo, na gestão do prefeito Cóssimo Baltazar de Freitas (1983-1988).

O projeto Roteiros da Fé foi idealizado e produzido pela jornalista Adriana Dias, conta com as imagens e filmagens de Douglas Arouca, músicas ao violão de Celso Faria, gravação e mixagem de Denilson César dos Reis e criação do logo de Armando Vidigal. Das 24 igrejas, este é o 22º vídeo e pode ser visto em https://clicfolha.com.br/folhaplay/roteiros-da-fe-capela-beato-antonio-frederico-ozanan/


Igreja tem uma obra de Zé da Beca

PASSOS – O artista passense José Barbosa de Andrade e Silva, o Zé da Beca, que nasceu em 1910 e faleceu em 2003, trabalhou com diversos temas, como religiosos, bucólicos, mulheres sensuais. De acordo com a historiadora Leila Andrade, a maioria das peças está em posse da família, e, algumas em locais públicos, tais como uma na Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos.

 “O da igreja Matriz, trata-se de um cristo denominado Quo Vadis. Também fez um cristo em madeira que faz parte do altar na Capela Beato Antônio Frederico Ozanam, no Lar. É responsável pela criação da Bandeira de Passos e do Brasão da cidade, a pedido do então prefeito Geraldo da Silva Maia. O marco em homenagem aos pracinhas que lutaram na guerra e que fica na Praça do Rosário, também foi criado por Zé da Beca”, contou a historiadora, que é casada com Rubens, filho do artista.

            O Cristo da Capela do Lar tem altura de um homem com cerca de 2 metros, os pés estão como se flutuassem em cima de uma bola de madeira e tem um sorriso no rosto, além de uma coroa na cabeça.


Lar São Vicente de Paulo teve obra iniciada em 1980

PASSOS – Iniciada a década de 1980, os vicentinos sentiram a necessidade de mudar a forma da assistência aos idosos e ampliá-la ainda mais. Para a construção do atual Lar foi feito inicialmente o loteamento da área da antiga Vila Vicentina e Asilo. O Lar São Vicente de Paulo foi inaugurado em maio de 1983, obra que naquela época teve um custo final de Cr$120.000.000,00 (cento e vinte milhões de cruzeiros) e tornou-se referência para todo o Brasil em atendimento de longa permanência a idosos carentes.

Localiza-se em uma das principais vias da cidade, a Avenida Arlindo Figueiredo, pista de saída para São Paulo, e está próximo da Rodoviária e do Fórum. É a única instituição do município de Passos que dá assistência permanente gratuita a idosos, cumprindo o que determina o estatuto do idoso.

Ocupando hoje uma área de 30.000 m², com 3.126,06 m² de área construída, o Lar é composto por uma Ala Masculina e uma Ala Feminina, além de áreas comuns e de convívio, como a capela, jardins, estacionamentos, etc.

Cada ala possui 20 quartos e 10 banheiros, todos reformados entre março e maio de 2014. Dois sistemas de Aquecimento Solar, um para cada ala, fornece água quente aos banheiros. O equipamento foi doado pela CEMIG, proporcionando economia de energia e permitindo aos moradores banhos mais tranqüilos, sem preocupação com a economia de energia.

O Lar possui uma ampla e bem equipada Sala de Fisioterapia; uma Lavanderia equipada com duas máquinas para carga de 50 kg cada, duas centrifugadoras, setor que garante roupa limpa e passada diariamente a todos os moradores. Cada Ala possui sua sala de convivência.

Conforme a coordenadora administrativa do Lar, Jorgeane Oliveira, Passos e também a enfermeira responsável técnica, Silvana Carneiro, no ano de 2020, o Lar tem em seu quadro 85 funcionários.

Atualmente o Lar São Vicente de Paulo de Passos atende 94 idosos carentes, em regime de abrigo, proporcionando assistência médica, religiosa, psicológica, fisioterapeuta, nutricionista, enfermagem e serviço social.

Levantamentos feitos revelam que de cada dez moradores, sete não possuem mais vínculos com a família, o que ressalta a importância do trabalho da equipe de profissionais e os esforços da instituição em envolver a comunidade, incentivando visitas e sua convivência com os moradores.

Esses dados mostram, também, que a qualidade de vida oferecida pelo Lar vem aumentando a expectativa de vida dos moradores.  A média de idade das mulheres é de 73 anos, enquanto a dos homens fica em 66 anos.

Atualmente o Lar conta com uma moradora que fará 100 anos em julho de 2021 e outra moradora com 103 anos.

 

Foto: Adriana Dias

Foto: Adriana Dias

Foto: Adriana Dias.