Destaques Geral

Rotary escolhe a Mãe do Ano 2020

Por Adriana Dias / Redação

11 de Maio de 2020

Foto: Reprodução

PASSOS – A homenagem à Mãe do Ano, feita pelo Rotary Club de Passos, será diferente dos ocorridos nos últimos 63 anos. A tradicional troca de faixa e o jantar dançante darão lugar à espera, por uma data possível, logo passe a pandemia. A escolha da Mãe do Ano de 2020-2021 aconteceu durante esta semana e foi realizada pelas integrantes da Casa da Amizade, que fazem a escolha. A eleita é a dona de casa Lourdes Conceição Gonçalves Barboza, 56 anos, natural de Cláudio (MG), que substitui por um ano Antônia Aparecida da Silva.

A homenagem é realizada pelo Rotary Club de Passos e neste ano, com diploma enviado pelo presidente João Rosário Júnior, é uma forma de aproximação afetiva maior entre a família rotariana e a comunidade.

Foto: Reprodução

À Folha, a homenageada Lourdes contou que se mudou para Passos há 33 anos, quando seu marido Ângelo Lara Barboza, com quem é casada há 37 anos, foi transferido pela empresa à qual trabalhava para Passos. Mãe de Adriana, 36 anos, que é graduada em Serviço Social; Geraldo, 35 anos, graduado em Análise de Sistemas e Patrícia, 32 anos, Biologia, ambos pela Fundação de Ensino Superior de Passos (Fesp), tem a alegria de ser avó de Rafael, 6 anos, Daniel, 2 anos, Gabriel, 2 anos e Kalel, de 9 meses.

“A minha família é tudo pra mim. Confesso que recebi a notícia desta homenagem com muita surpresa. Sou uma mulher muito simples, uma dona de casa que procura cuidar com muito amor a família. E gosto muito de ajudar as pessoas que precisam de acolhimento, principalmente por conta de atuar como fazedora de visitas, por ser legionária, no Santuário da Penha”.

Filha de um casal que teve dez filhos, Lourdes lembra que, em Cláudio, começou a trabalhar aos 14 anos como empregada doméstica até 19 anos na mesma casa, mas que, mesmo antes disso, ajudava a família na lida da roça, como plantar e colher milho e feijão.

“Depois que me casei, só voltei a trabalhar quando a Patrícia completou 8 anos. Voltei a atuar em uma casa de família e depois trabalhei limpando a Capela Centenária da Penha e fui convidada a trabalhar na casa dos irmãos do Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos (Capp). De lá fui para outras casas, dentre elas em um supermercado”, disse Lourdes.

Com os filhos grandes, ela conta que ficou por mais 11 anos na mesma empresa, onde seus três filhos também atuaram.

“Sempre falo que Passos é um paraíso que Deus escolheu para mim. É uma cidade acolhedora, que mesmo eu não tendo nenhum parente aqui, nem meu marido, nos sentimos em casa. E agora, esta homenagem linda. Quando estou preocupada ou muito feliz minha pressão arterial sobe. Com a notícia que recebi da homenagem minha pressão foi a 17 por 11”, disse, questionando se não teria uma mãe melhor.

Questionada sobre a importância de ser mãe, ela explica que se sente privilegiada por nunca ter perdido uma noite de sono por conta dos filhos, exceto por alguma enfermidade. “Nunca fiquei preocupada com filho ficar à noite para a rua, bebendo. Graças a muita oração”, afirmou.