Destaques Geral

Revendedores decidem adiar reajuste no preço do gás

Poe Ézio Santos / Especial

8 de junho de 2020

De acordo com a Petrobras, o reajuste para o consumidor gira em torno de R$ 1,60 para cada botijão de 13 quilos do gás. / Foto: Foto: Helder Almeida

PASSOS – Ao menos até o próximo fim de semana o consumidor passense do botijão de 13 quilos do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) pode ficar tranquilo que o reajuste de 5,3% anunciado na última de quinta-feira, 4, não deve ser repassado pelos revendedores. Segundo eles, também não há risco de desabastecimento do produto na cidade.

Os proprietários de depósitos ou distribuidoras em Passos revelam que, desde o início do ano, a Petrobras tem aumentado o preço do gás de cozinha constantemente e, poucas vezes, anunciou redução do valor cobrado pelas refinarias.

Virou rotina o reajuste pelo governo, mas, para não perder clientes, muitos comerciantes preferem diminuir sua margem de lucro e manter os atuais preços até o limite”, justificou Adilson José Ferreira, representante da distribuidora Consigás.

A mesma opinião tem Selma Matias de Oliveira Silva, dona do depósito Santa Gás, que trabalha apenas com a entrega do produto em domicílio.

Ainda tenho no estoque butijões que vieram no último carregamento. Por isso vou reajustar o preço daqui alguns dias quando vier outra leva do produto”, comentou.

Eu ainda não elevei o valor porque estou fazendo uma análise de mercado na cidade para depois definir o aumento. Com tanto reajuste anunciado pela Petrobras, tenho que ter cautela e subir o preço na hora certa”, ressaltou Roberto Sérgio Nunes, do depósito Roberto Gás.

Hoje, em Passos, o custo do botijão de 13 quilos varia de R$ 63, para retirar na portaria, e R$ 75, quando o cliente opta pela entrega em sua casa. Nos fins de semana e feriados, principalmente à noite e em situação de extrema emergência, alguns depósitos, cujos proprietários ou gerente residam nas proximidades do estabelecimento comercial, elevam o preço para R$ 80 ou mais.