Destaques Política

Resultado de pesquisa eleitoral é comentado por pré-candidatos

Nathália Araújo / Redação

8 de junho de 2020

SÃO JOSÉ DA BARRA – O resultado da pesquisa eleitoral realizada em São José da Barra pela Folha da Manhã, em parceria com a F5 Atualiza Dados, apontou três nomes que devem disputar o cargo de chefe do Executivo neste ano. As intenções de votos foram apuradas de forma espontânea e em dois cenários estimulados; no primeiro foram revelados os pré-candidatos, enquanto no segundo contexto, um concorrente é retirado porque sua candidatura pode ser impedida por pendências judiciais.

O presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, conhecido por Serginho, é o atual prefeito municipal e alcançou os melhores resultados na pesquisa, uma vez que foi o mais citado em todas as intenções de votos e teve seu trabalho administrativo avaliado como “ótimo” por 22,27% dos cidadãos que participaram do levantamento, assim como foi classificado como “bom” por outros 42,73%. O político obteve 15,45% de taxa de rejeição, ocupando o segundo lugar entre os demais.

Considerando que a pesquisa conta com intervalo de confiança de 95% e margem de erro de 6,50%, Serginho ressalta que sua colocação já era esperada e que está otimista para as eleições. “Os números não me surpreenderam porque as pessoas realmente se mostram satisfeitas com todas as realizações da prefeitura. É claro que sempre vai existir a oposição mas, diante da credibilidade da pesquisa e do que ouvimos pelas ruas, estamos com grandes expectativas para vencer a disputa e continuar com o trabalho”, informou o gestor.

Representando o Partido Liberal (PL), Marcelo Rodrigues da Silva, o Marcelinho, também pretende concorrer ao cargo e revelou que ficou surpreso com o resultado, visto que seu nome apareceu em segundo lugar nas intenções de votos, e foi o pré-candidato que recebeu o maior percentual de rejeição, com 15,91%. “Já tive três mandatos como vice-prefeito e três como vereador, sempre fiquei entre os mais votados. Sinceramente, não esperava esses números, especialmente no quadro de votos espontâneos que, na minha opinião, é o mais válido”, destacou.

Sobre a colocação dos outros possíveis concorrentes, Marcelinho afirma que é preciso pensar com clareza para definir as próximas idealizações. “Está claro que as eleições serão bem disputadas, considerando que muitos ainda não sabem em quem votar. Tenho experiência na política e acredito que muita coisa ainda deve mudar e isso deve ser analisado com cautela para evitar erros. De acordo com as informações que recebo dos eleitores, são poucos os que estão satisfeitos com a atual gestão, porque dizem que ninguém cumpre o que foi prometido”, justificou.

João Alves Passos, presidente do Republicanos (PRB) e ex-prefeito municipal, obteve o menor índice de rejeição, com 15%. No entanto, ficou em terceiro lugar nas intenções espontâneas e estimuladas pelo primeiro contexto, já que teve o nome retirado do segundo. O pré-candidato disse pretende resolver suas questões judiciais e defendeu que seu trabalho como gestor é o melhor entre as opções. “As coisas estão em andamento e vou fazer o necessário para disputar o cargo porque, quando estou na prefeitura, o município é rico e qualquer cidadão percebe isso”, comentou o ex-chefe do Executivo.

Ainda, João declara que não vê a política como uma profissão, mas que possui uma proposta específica para orientar sua administração. “Se eu não for eleito, tenho o meu próprio trabalho e acho que isso é um diferencial, porque a pessoa que depende disso é capaz de fazer qualquer negócio. A população é quem indica as necessidades de cada lugar, e por isso faço o que o povo quer. Em todo o tempo em que fui prefeito, busquei progresso para todos, não para alguns”, finalizou o político que preferiu não falar sobre os resultados obtidos pelos demais pré-candidatos.