Destaques Geral

Região tem 75 incêndios florestais no 1º semestre

Por Nathália Araújo / Redação

24 de julho de 2020

As queimadas são muito prejudiciais ao mercado agrícola e, nesta época, os pastos e plantações necessitam de cuidados redobrados. / Foto: Divulgação

PASSOS – De acordo com um levantamento realizado pela equipe do 10º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, de Passos, as ocorrências de incêndios florestais cresceram 368,75% neste ano em relação ao primeiro semestre de 2019. Entre os meses de janeiro e julho os casos passaram de 16 para 75.

Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (Sinrural), Elder Maia dos Reis, as queimadas são muito prejudiciais ao mercado agrícola e, nesta época, os pastos e plantações necessitam de cuidados redobrados.

Não sabemos as causas dos incêndios, podem ser atos criminosos, mas também existe a possibilidade de ser acidental. Na minha fazenda, tive problemas por dois anos e isso não está no nosso controle, mas uma boa estratégia para evitar o fogo é tirar todo o mato que fica nas extensões próximas às rodovias e cercar com grades de contenção”, disse.

Nesta semana, o produtor rural Gilson Aparecido de Souza teve cerca de dez hectares em área de pastagem queimados, e agora procura outros recursos para a alimentação dos bovinos que possui.

O fogo foi colocado na estrada, mas atingiu toda a vizinhança e até conseguimos diminuir as chamas, mas foi necessário chamar o Corpo de Bombeiros. Isso é muito injusto, porque reservamos o pasto para o gado durante o ano e isso nos causou um grande prejuízo, espero que não volte a acontecer”, reclamou.

O tenente Daniel Anconi de Sousa, do Corpo de Bombeiros, explica que, especialmente em dias quentes, as práticas agrícolas que envolvem queimadas devem ser evitadas para impedir que o fogo se alastre e cause algum tipo de acidente.

Quando o vento está forte, é muito fácil perder o controle das chamas. Especialmente nesta época, recebemos denúncias simultâneas e devemos atender de acordo com a gravidade do incêndio, mas isso diminui a efetividade do nosso trabalho, porque não podemos socorrer vários focos ao mesmo tempo. É um período que requer cautela”, explicou o bombeiro.

Anconi também ressalta as principais estratégias que ajudam a evitar as queimadas em áreas rurais.

Os moradores e agricultores devem manter a limpeza dos terrenos próximos de suas propriedades, dificultando o surgimento de um possível incêndio e, caso isso aconteça, o fogo não encontra nada que possa levá-lo às residências. Além disso, os animais que vivem nos locais afetados podem morrer, sofrer queimaduras, ter problemas nas vias respiratórias e encontrar dificuldades para a alimentação”, completou.