Destaques Geral

Região Sudoeste está em alerta para queda nas temperaturas

16 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS- A região Sudoeste está entre as localidades do Estado que podem ser afetadas por um declínio de temperatura nos próximos dias. O alerta foi feito pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) na terça-feira, 14, e classificado como perigo potencial. O fenômeno pode afetar, também, a região metropolitana de Belo Horizonte, a Zona da Mata, Campo das Vertentes e a região Oeste e Sul de Minas Gerais. A temperatura deve cair em torno de 3ºC a 5ºC e há uma possibilidade pequena de chuvisco isolado.

Como informou o meteorologista do Inmet Lizandro Gemiacki, esse declínio é causado por uma massa de ar frio polar que está se deslocando de São Paulo e deve chegar no Sul e Sudoeste do Estado na madrugada desta quinta-feira, 16. É esperado que o dia mais frio seja o domingo, 19, principalmente durante a madrugada.

Dentre as cidades que estão com o alerta no portal do Inmet, estão Carmo do Rio Claro, Fortaleza de Minas, Itaú de Minas, Alpinópolis, São Sebastião do Paraíso, Bom Jesus da Penha, Guapé, Itamogi, Jacuí, Monte Santo de Minas, Pratápolis e Passos. Nessas localidades, a previsão é de que a temperatura mínima caia, em média, 3ºC e a máxima sofra queda de 2ºC até domingo.

Esse aviso vai atingir, em geral, grande parte da metade Sul do Estado, que seriam algumas cidades mais ao sul de Passos. Essa massa de ar frio se forma lá na região polar e vem se deslocando ao longo do Brasil. Então ela vai atingindo primeiro as regiões mais ao sul, tanto que nesta quarta-feira, 15, fez muito frio lá no Rio Grande do Sul, com geadas generalizadas.

Como ela vem se deslocando, vai perdendo força e se aquecendo, então ela normalmente chega ao Sul de Minas ou a Belo Horizonte bem mais fraca do que na origem. Mesmo assim, ela consegue diminuir as temperaturas em torno de 3ºC a 5ºC em média. Algumas estações (meteorológicas) mais no alto das serras podem ter até ocorrências de geadas em pontos isolados”, explicou o meteorologista.

Gemiacki também reforçou que esse fenômeno é bem comum no inverno e que, após alcançar a temperatura mínima, o tempo começa a ficar mais quente até uma próxima massa de ar. A previsão é de que a partir de domingo, 19, essa massa perca força e que, na próxima semana, os termômetros comecem a marcar temperaturas mais quentes na região.