Destaques Geral

Receita Federal recebeu 25 milhões em declarações do imposto de renda 2022

25 de Maio de 2022

76% dos contribuintes mineiros já declaram o imposto

BRASÍLIA – A Receita Federal informa que até nesta terça-feira, 24, foram entregues 25.838.361 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022, ano-calendário 2021, que representa aproximadamente 73% do total das 34.100.000 declarações esperadas.

Em Minas Gerais foram entregues 2.423.344 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022, ano-calendário 2021, o que corresponde a 76% da expectativa que é de 3.200.000 até o final do prazo, dia 31 de maio. A expectativa é de que 34.100.000 declarações sejam enviadas até 31 de maio, quando termina o prazo.

O cidadão que estiver obrigado a entregar a declaração e não o fizer até o fim do prazo – que termina em 31 de maio próximo – estará sujeito à multa. O valor da multa é de 1% ao mês sobre o valor do imposto de renda devido, limitado a 20% do valor do imposto de renda. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74.

A multa é gerada no momento da entrega da declaração e a notificação de lançamento fica junto com o recibo de entrega. O contribuinte terá 30 dias para pagar a multa e, após este prazo, começam a correr juros de mora (taxa Selic).

Para as declarações com direito à restituição, se a multa não for paga dentro do vencimento, ela será deduzida (descontada), com os respectivos acréscimos legais (juros), do valor do imposto a ser restituído. As restituições começam a ser pagas a partir do dia 31 de maio.

Segundo a Receita Federal, é possível destinar uma parte do imposto para fundos de crianças e adolescente ou idosos, por meio da Campanha Destinação. O cidadão que optar por participara da campanha deverá pagar o Darf integralmente até o dia 31 de maio, sem parcelamento nem débito automático.

Mensalmente a Receita Federal recebe do Secretaria do Tesouro Nacional (STN) recursos para pagar as restituições e cria lotes bancários. A inclusão de contribuintes nesses lotes obedece aos seguintes critérios legais: idosos; contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério; e demais contribuintes. Havendo empate nos critérios, quem entregou primeiro tem prioridade.