Destaques Geral

Reajuste no preço da gasolina chega aos consumidores

16 de outubro de 2020

Foto: Agência Brasil

PASSOS – Após o reajuste de 4% no valor cobrado pela gasolina nas refinarias da Petrobras, o aumento já pode ser verificado nos postos de combustíveis de Passos. De acordo com um levantamento realizado pela Folha nesta quinta-feira, 15, a variação média, nos estabelecimentos consultados, é de 6,45% – a alta ficou entre R$0,10 e R$0,25. O menor valor observado foi de R$4,79 e o maior chegou a R$5,09. O diesel também ficou 5% mais caro nas refinarias.

Este foi o primeiro reajuste do mês de outubro, no entanto, desde a segunda quinzena de setembro, já ocorreram três acréscimos no valor da gasolina e dois no preço do diesel. De acordo com a Petrobras, a política de preços da estatal leva em conta a paridade de importação, que é a responsável por estabelecer a cobrança e o câmbio do petróleo e seus derivados no mercado externo. Segundo o gerente de um posto de combustível que preferiu não ter seu nome divulgado, alguns consumidores já reclamaram do aumento.

Tivemos que repassar os novos valores na terça-feira, 13, e muitas pessoas chegaram a nos questionar sobre a razão disso. Se estivesse ao meu alcance, certamente o produto seria mais acessível, mas não podemos fazer isso porque ficaríamos sem lucro. Mesmo assim, nossos clientes continuam comprando aqui, porque sabem que é uma gasolina de qualidade”, esclareceu.

Marlene Gonçalves, que gerencia uma empresa do mesmo segmento, afirma que os rendimentos do estabelecimento não aumentaram com os novos reajustes.

As pessoas pensam que nós escolhemos quanto os combustíveis devem custar, mas não é bem assim, até porque existem muitas fiscalizações em relação a isso. O preço também subiu para nós, então não ganhamos nada com isso. No fim das contas, o resultado é mesmo. Não adianta brigar com os frentistas, o problema não vem daqui”, explicou a gerente.

Para Fábio Xavier de Oliveira, técnico em informática, os altos preços têm feito com que muitas pessoas pesquisem os locais que oferecem o produto mais em conta.

Claro que tenho um posto favorito, mas em meio à atual crise financeira não podemos escolher muito, temos que economizar e comprar o mais barato. Meus colegas de trabalho e alguns familiares também estão procurando pelos menores preços, já que todos precisam do transporte e não podem deixar de abastecer, mas queremos que isso não pese tanto no bolso”, contou.

O aumento no preço dos combustíveis também varia de acordo com a forma de pagamento, uma vez que quem preferir comprar a prazo – por meio de cartões de crédito – pode pagar entre R$0,20 e R$1 a mais pelo litro.