Destaques Economia

Reajuste dos planos de saúde

29 de janeiro de 2021

O reajuste dos preços de planos de saúde de 2020, que começou a ser cobrado neste mês, tem preocupado os consumidores. Como os valores não aumentaram no ano passado, em virtude da pandemia de Covid-19, em 2021 as empresas foram autorizadas a efetuar a cobrança de forma retroativa.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Faixa etária
  • Adiamento
  • Percentuais
  • Entenda o pagamento
  • Orientações

Faixa etária

Além da correção anual, os usuários podem ter, ainda, que arcar com o possível reajuste de faixa etária, além do aumento com relação ao ano de 2021. A medida pode pesar ainda mais o bolso do consumidor, que, tradicionalmente, já tem mais gastos no início do ano e ainda busca minimizar os impactos econômicos da pandemia.

Adiamento

Em agosto do ano passado, a Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou que o reajuste não seria aplicado nos meses de setembro e dezembro. Entretanto, o valor não foi cancelado, mas adiado, e está sendo aplicado agora. Desta maneira, as operadoras já estão autorizadas a aplicar os reajustes anual e de faixa etária de 2020 nos boletos do mês de janeiro para os usuários dos planos individuais ou familiares.

Percentuais

O percentual máximo de reajuste ficou estabelecido em 8,14%. O índice é válido para o período de maio de 2020 a abril de 2021, com a cobrança sendo iniciada a partir de janeiro de 2021, juntamente com a recomposição dos reajustes suspensos. Entretanto, a ANS esclarece que o percentual de reajuste autorizado para o período de maio de 2020 a abril de 2021 observou a variação de despesas assistenciais entre 2018 e 2019, período anterior à pandemia e que, portanto, não apresentou redução de utilização de serviços de saúde. Por isso, os efeitos da redução serão percebidos no reajuste referente a 2021.

Entenda o pagamento

Os contratos que tiveram reajustes suspensos de setembro a dezembro terão o pagamento retroativo cobrado a partir de janeiro de 2021, em 12 parcelas iguais diluídas ao longo deste ano, de valores iguais. O boleto deverá apresentar as seguintes informações: o valor da mensalidade, o valor da parcela relativa à recomposição e a informação de que parcela é. O pagamento também pode ser feito em um número menor de parcelas, desde que o usuário solicite à sua operadora e a mesma concorde com a medida.

Orientações

Órgãos de defesa orientam os consumidores a verificarem os valores dos reajustes, correspondentes ao ano e à faixa etária, que constam no contrato, para conferir se o aumento aplicado está correto. Caso o consumidor tenha dúvidas poderá procurar o Procon, munido do contrato e dos boletos de pagamento para que haja avaliação pelos técnicos da agência. Se for verificado que a cobrança tem um valor indevido, poderá ser feita uma tentativa de negociação da diluição do valor reajustado.