Destaques Do Leitor

Ranking de óbitos

22 de junho de 2020

A covid-19 lidera o ranking de óbitos nesses primeiros meses de 2020. O novo cronavírus fez mais vítimas que o suicídio, malária, desnutrição, homicídios, doença de Parkinson, afogamentos, meningite, influenza, álcool, drogas, conflitos, hepatite, incêndios, envenenamentos, calor e frio, terrorismo e desastres naturais. Dos oito milhões de casos registrados, temos um total de cerca de 450 mil mortes em todo o planeta. Os números mostram, claramente, que não se trata de uma ‘gripezinha’.

O Brasil continua patinando na indicação de um ministro da Saúde que possa orientar de forma assertiva as ações das autoridades e a população em geral. Precisamos largar a política de lado, senão corremos o risco de chegar em dezembro sem eleições.

José Carlos Saraiva da Costa – Belo Horizonte/MG

Esclarecimento

Para evitar desentendimentos, deveria, mesmo na época de Santo Antônio e São João, ser proibido soltar fogos na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Quantos foram os feridos e vítimas de morte e qual foi o prejuízo material à envidraçada sede do STF no criminoso foguetório na noite de sábado, 13 de junho de 2020? Compete à rigorosa mídia prestar tais esclarecimentos. Todo o Brasil precisa saber.

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES

Consciência na abertura

A divulgação da criação do Fundo Garantidor de Operações (FGO), que vai liberar R$ 15,9 bilhões para empréstimos a pequenos negócios, é feita num momento em que vários estados estão iniciando a liberação de atividades em diversos setores da nossa economia. Por sinal, ainda não temos o controle necessário que assegure a diminuição dos riscos à saúde. De qualquer forma, fica clara a necessidade de um comportamento adequado, tanto por parte do empresariado como dos organismos públicos e, também, da nossa população. É mais do que necessária uma ação com a devida amplitude. O momento impõe este desafio.

Uriel Villas Boas – Santos/SP