Destaques Geral

Radar na Arlindo Figueiredo já aplicou R$832 mil em multas

7 de Maio de 2020

O valor da multa varia de acordo com a velocidade que o veículo atinge ao ser flagrado pelo dispositivo eletrônico.

PASSOS – O radar eletrônico instalado na avenida Arlindo Figueiredo , em Passos, já aplicou mais de 5,4 mil multas, o que representa uma previsão de R$832 mil em arrecadação para a Prefeitura, se elas não forem contestadas legalmente. De acordo com o ex-diretor do Departamento Municipal de Trânsito, Marcelo Alves da Silva, o Mingau, o equipamento está em funcionamento desde janeiro e, além de zerar o número de acidentes no local, as autuações feitas pelo dispositivo geram recursos financeiros que vão para os cofres da prefeitura e devem ser aplicados no trânsito do município.

Instalado no final do ano passado, na lateral da pista sentido rodovia MG-050 em direção à cidade, próximo ao Lar São Vicente de Paulo, o equipamento ficou um mês apenas como alerta aos motoristas que passavam pelo local. Desde a zero hora do dia 10 de janeiro de 2020 o radar entrou oficialmente em operação, 24 horas por dia, e começou a autuar os condutores que ultrapassam 50 quilômetros por hora. O valor da multa varia de acordo com a velocidade que o veículo atinge ao ser flagrado pelo dispositivo eletrônico.

Mingau, que pediu exoneração do cargo por conta da polêmica em torno da mudança no sentido de direção na rua João Teixeira Mendes, na semana passada, revelou que entre 10 de janeiro a 30 de abril foram autuados 5.427 motoristas que desobedeceram a velocidade limite. A projeção de arrecadação com as multas processadas é de R$ 832,241,15. Se efetivamente cobradas, essas multas vão gerar ao Departamento Municipal de Trânsito uma média de quase R$ 7.500 por dia. “É bom lembrar que, desde a autuação pelo radar até o dinheiro cair na conta da prefeitura, leva algum tempo, principalmente se o suposto infrator recorrer da decisão no órgão competente. Aí leva tempo”, explicou Mingau.

“Fizemos um estudo aprofundado sobre o assunto, ciente de que naquele local os condutores que deixavam a MG-050 em direção à cidade, excediam bastante a velocidade. Como consequência, os acidentes, muitos deles graves e com vítimas fatais, eram constantes. Entre 10 de janeiro e 30 de abril, ou seja, em 111 dias, não ocorreu nenhum acidente, graças a Deus”, ressaltou o ex-diretor no seu último dia de trabalho como diretor Municipal de Trânsito.

Secretário diz que desconhece

O secretário Municipal de Planejamento, Ulisses de Araújo Silva, disse que não confirma os mais de R$ 830 mil que Mingau disse ter sido gerados em multas e apresentado através do ‘Resumo de Autuações Emitidas (RAE)’ à reportagem. “Este arquivo não existe aqui. Esse documento não reconheço como sendo oficial do nosso sistema”, afirmou, sem revelar o valor exato do dinheiro que já está na conta da prefeitura. “É porque não cuido diretamente do setor de arrecadação. É preciso tempo para encontrar os números nos arquivos”, disse.

A inda de acordo com Ulisses, o dinheiro a ser arrecadado com as autuações será aplicado em políticas públicas voltadas para a segurança no trânsito de Passos. “O recurso é todo do órgão municipal e tem destino certo. Vai depender do que o novo diretor achar necessário, como compra de equipamentos e máquinas em geral, novos semáforos, ferramentas, placas indicativas, tinta para piso etc”, afirma.