Destaques Do Leitor

Querido Reis Ponssancini

30 de janeiro de 2021

Meu Jesus! Eu não esqueço daquele dia 20 de julho, em que você foi fazer aquela viagem para Poços de Caldas comprar frutas e verduras para o supermercado na Ceasa. E lá você sentiu-se mal e faleceu. Foi uma tristeza para nós. Mamãe estava na Santa Casa há oito dias e eu lá com ela, daí foi chegando minha irmã e o celular dela tocou, ela jogou a blusa de frio na cadeira que eu estava e foi para o corredor atender.

Logo ela voltou e me falou: pega suas coisas e vamos embora. Quando cheguei em casa estava tanta gente daqui do bairro São Francisco, inclusive o saudoso locutor Hilton Rosa Silva – que prestou tanta atenção com a gente e nos deixou e foi se morar com Deus. Dai fomos para o velório são Vicente e o corpo do meu querido irmão, Reis Ponssancini chegou meia noite. Minha mãe chegou para o velório para poder dar a benção para o Reis pela última vez. Ela voltou para o sepultamento do dia 21 de julho ao meio dia. Da cadeira de rodas ela passou aquelas mãozinhas trêmulas no Reis dizendo: “Oh meu filho, você me deixou. Não é possível”.

Eu, que ficava com a mamãe desde na de 1994, sei quanto ela gostava muito do Reis. E ele, com aqueles sorrisos tão lindos, alto bonitão, simpaticão. Reis me ajudou tanto, nunca soube me falar a palavra não. Quando eu precisava ele era sempre o Sim como sempre sorrindo. Cabeceava uma bola aqui na garagem de casa umas 30 vezes e sempre ele pegava o violão e ele falava: “Vamos cantar, quem canta seus males espanta”. Nós dois cantávamos e ríamos. Agora só restou saudades, o Reis deixou sua esposa Creide e sua filha Laura, com seis anos. Saudades e mais saudades de tudo.

Renivalda Ponssancini Borges – Passos/MG


Leite condenado

Para os incautos e desconhecedores, o uso e consumo de leite condensado (na verdade, concentrado) passa longe de ser apenas para a culinária da vovó e muito mais longe de furar a latinha para sugar a gostosura. A principal ração desta concentração é para aumentar o tempo de validade do leite e possibilitar sua distribuição até os mais distantes pontos do País, sem requer refrigeração, em razão do processo de produção e envase. No ponto de consumo, no meio da mata amazônica, basta adicionar água e… pronto, pode consumir como se fosse um belo copo de saudável leite fresco. Essa é uma das rações de alimentos processados, e aí entram os engenheiros de alimentos. Deu para entender?

Paulo Celso Biasioli – São Paulo/SP