Destaques Política

Quatro dos 13 partidos políticos de Passos não prestaram contas

2 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Os 13 partidos políticos vigentes no ano passado em Passos deveriam prestar contas até dia 30. Porém, nem todos cumpriram o prazo estipulado pela Resolução 23.604 de dezembro de 2019, que estipulou como data o dia 30 de junho. Nove deles entregaram as contas na data e quatro não prestaram contas anuais.

De acordo com o chefe do Cartório Eleitoral da Comarca de Passos, Alexandre Araújo, informou que os partidos que se preocuparam em fazer as prestações de contas são o Republicanos, presidido por Marco Aurélio Silva dos Reis; o Partido Liberal (PL), que tem como presidente Wanilton Chagas Cardoso; Partido Democrático Trabalhista (PDT), presidido por José Geraldo Lopes da Silveira; Partido da Mobilização Nacional (PMN), a cargo de Virgínio Leopoldino; Partido Social Liberal (PSL), presidido por Diego Rodrigo de Oliveira; Democratas (DEM), que tem na presidência Rodrigo Calixto Mattar; o Progressistas (PP), presidido por Ademir José da Silva; Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que tem por presidente Erick Freire Silveira e o Partido Social Democrático, sob a presidência de Cássio Antonio Ferreira Soares.

Já os partidos que não apresentaram as prestações de contas são o Partido Socialista Brasileiro (PSB) que tem como presidente Alziro Vicente; o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que tem como presidente Luis Carlos do Souto Junior; Avante, presidido por Carlos Henrique Braz e o Patriotas, único presidido por uma mulher, Sandra Aparecida Mariano Estevão.

Ainda conforme explicou Araújo os partidos Podemos, presidido por Wedson José Nunes; Cidadania, presidido por Carlos Renato Lima Reis e o Partido dos Trabalhadores (PT) estão vigentes em 2020, porém não estavam em 2018 e 2019, sendo eximidos de prestarem contas deste exercício.

Questionado sobre quais as ações que estes partidos devem tomar a partir de agora, o chefe do Cartório explicou que aqueles que não apresentaram a documentação, que é totalmente on line, serão intimados pela Justiça Eleitoral a prestarem os esclarecimentos em 72 horas, sob pena da lei.

A prestação de contas dos partidos é uma obrigação jurídica prevista na Constituição da República. E uma obrigação ética e moral de prestar contas à sociedade e aos eleitores de seus atos. Partido que não se preocupa em prestar contas à sociedade sofre as sanções previstas na lei e corre o risco de ser julgado também pela sociedade na hora da escolha de seus quadros para os cargos eletivos”, afirmou Araújo.

Sobre a pandemia e os prazos, o chefe salientou que não houve qualquer alteração em datas, apenas a que estava sendo votada na tarde desta quarta-feira, 1º, que se refere ao novo calendário para a realização das eleições.