Destaques Quinta Coluna

Quando eu crescer…

Por Cesar Tadeu

30 de abril de 2021

A necessidade de destravar o mercado imobiliário da cidade, levando em conta que o lançamento de novos loteamentos está paralisado, foi pauta de reunião do 22 de Abril do Descobrimento do Brasil em taba articulada pela vereança e montada no Palácio da Cultura, reunindo, além da edilidade local, empresários do setor, gestores e representantes da Caixa Federal e de cartório de imóveis.

***

Os empresários – boa parte, herdeiros de grandes e outrora produtivas propriedades rurais, agora fatiadas em forma de míseros 250 metros quadrados de latifúndio urbano (como se Passos fosse o Principado de Mônaco onde, como é sabido, não há espaço territorial para expansão urbana. Em Mônaco, bien sûr!) – reclamam que há 8 anos estão sem terem como lançar novos empreendimentos, por conta da legislação municipal, o que segundo eles, tem afetado drasticamente a construção civil impedindo inclusive que a Caixa possa fomentar o financiamento de moradias, etc. etc. etc.

***

Interessante!

Livre pensar, é só pensar (como diria Millôr): vejamos, por exemplo, o Jardim Eldorado. Lançamento imobiliário inovador para a Ardeia, lá pelo final dos anos 1970/início dos anos 1980, tal loteamento, passados cerca de 40 anos, tem quase 50% de seus bons lotes, de então 360 metros quadrados de área (já fomos bem menos ordinários e exploradores do espaço urbano), vagos!..

***

…O Serra das Brisas – uma também inovadora proposta urbanístico-imobiliária do arquiteto Paulinho Pimenta, pontuada por lotes de 360m² ou mais, de área – lançado pouco tempo depois do Eldorado, deu no que deu: a ocupação lá até que aconteceu. Não muito, mas aconteceu.

Ocupação predominantemente comercial e industrial, num loteamento que era apenas de caráter residencial.
O que agora mesmo, a partir dos anos 2010, se tornou um problema – judicicial, inclusive – para a Prefeitura do Município de Passos.

***

Município de Passos?!?

Aos incautos, esse nosso torrão localizado na porção Sudoeste do Estado das Minas Geraes – na Mesorregião do Sul e Sudoeste de Minas – até que tem tera pra dedéu! Ocupa uma área total de 1.339 km², para uma população estimada de 114.458 habitantes (dados de agosto de 2017). O que dá uma densidade populacional, novesfora, de 85,5 habitantes por quilômetro quadrado (km²)…

***

…desculpaí a comparação mas só para citar, novamente, o Principado de Mônaco – cidade-estado soberana situada no sul da França – possui uma área de aproximadamente 2 quilômetros quadrados (2 km²). Ou seja: Passos/MG é, territorialmente, 1.337 vezes maior que o segundo menor Estado do mundo e a cidade com a densidade populacional mais alta do mundo.

Se observar bem, a julgar pelo tamanho das propriedades residenciais monegascas, por lá, um terreninho de 250 m², só se for para construir a casinha do cachorro. Mas lá é Mônaco, herdeiros falidos não entram!

***

De volta ao Sudoeste de Minas, do tal encontro de gestores, loteadores e gentes afim (ou seria a fim?) houve quem dissesse da importância de destravar novos loteamentos para dar a oportunidade de famílias terem como comprar seu terreno para a obtenção da casa própria; que a cidade está impedindo o cidadão de exercer o direito à moradia; que o déficit habitacional n’Ardeia seria hoje de 10.000 moradias.

***

Hmmm! o mais correto seria dizer que faltam moradias, casas construídas. Terrenos a cidade (em sua porção urbana) tem de sobra, bugrada. Com direito à escolha do cliente: se na área central, se em bairros, bairros chiques, bairros mais populares, novos bairros… escolham! Não se convenceram ainda?!?

***

…então deem um olhadela, para ficar só num exemplo, no eixo entre a Praça São Benedito (bairro), descendo a Rua Santa Efigênia em direção ao entroncamento com a Avenida Arouca (supercentro, bancário, inclusive). Reparem, de um lado e do outro lado, na quantidade de lotes, de todos os tamanhos, vagos. Há anos, vagos! E onde não havia lote vago, derrubaram as casas para fabricar (a palavra correta é “especular”) novos lotes… vagos! Ora, direis, mas os preços desses lotes seriam proibitivos ao sem-lotes.

***

Ora, hipócritas, sabe por quanto são vendidos os metros quadrados (merrecas 250 m²) de terra nos últimos e mais recentes loteamentos lançados na cidade??? Quer se enganar alegando que com os novos loteamentos ainda barrados pela prefeitura de Passos, terão valores tão mais inferiores??? Você sabe que não será assim, incauto!
De mais a mais, só lembrando, tais novos loteamentos chegam sem o apoio da infraestrutura de cidade.

Não a infraestrutura de água-esgoto-luz-asfalto (que é obrigação do loteador), mas a infraestrutura de comércios, serviços, saúde, escolas, mobilidade e tudo o mais que faz a facilitação e o bem-viver numa cidade. São só novos loteamentos recém-asfaltados e, visualmente, (ainda) descongestionados. Até começarem a pipocar o que dá para construir em merrecas 250m²: em geral, assobradados – o que também é pra lá de questionável – amontoados…

***

Enfim, olhai os vales vistos do Mirante do Vale… porque ainda vale a vista – verde; a serra e a brisa. Montes belos num Eldorado, dos nobres e de aroeiras. Ainda um jardim, enquanto cidade; nova Passos… Por quanto tempo? A ocupação é pouco ordenada. Um novo Plano Diretor? Seguir alguma recomendação do Ministério Público?
Aplicar a nova lei de parcelamento de solo aprovada em 2018 na refrigerada e (urbanisticamente falando) esprimida sede da Câmara Municipal de Passos seria um ponto de partida. Enfrentar todas as ações e reações por conta, há de se ter eira & beira. Ser só oliveira, é pouco!

***

Express Press

Esse cara sou eu! Tudo bem, a pesquisa não é recentíssima e o cenário em Brasilia/DF, como todo mundo sabe, muda várias vezes num mesmo ato. Assim esclarecido, pesquisa PoderData mostra que só 11% dos entrevistados dizem conhecer bem o presidente do Senado, o conterrâneo Rodrigo Pacheco (DEM-MG). 62% afirmaram conhecê-lo de “ouvir falar”. Outros 27% citaram “não conhecer” o senador, numa primeira vez que o levantamento fez essa pergunta aos entrevistados, no início de abril…

…A pesquisa foi realizada pelo PoderData, que é uma divisão de estudos estatísticos do Poder360 e a divulgação do levantamento feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes – da Band TV, entre outras midias, cara-pálida. Os dados foram coletados no final de março, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3.500 entrevistas em 541 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual…para mais, ou para menos…

…Para chegar a 3.500 entrevistas que preenchessem proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade tupiniquim) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Além de perguntar aos entrevistados se conheciam a figura política de Rodrigo Pacheco, o PoderData também mediu a avaliação dos brasileiros sobre a atuação do presidente do Senado e, digamos assim, a terceira pessoa na hierarquia da democracia brasilis . O trabalho do senador passense é considerado “regular” por 63% dos brasileiros e “ótimo” ou “bom” por 12%. Outros 19% avaliam o trabalho de Pacheco como “ruim” ou “péssimo”. Os que não souberam responder são 6% nessa pesquisa. Lembrando: a margem de erro é de 1,8 ponto percentual…para mais, ou para menos…

Em tempo: o PoderData é parte da Poder360. E a Poder360 é uma empresa de jornalismo profissional, em forma de jornal digital, que publica textos, fotos, vídeos e newsletters diariamente. Cobre assuntos do poder e da política nacional e internacional a partir da capital da República, a planejada capital Brasília/DF. A quem interessar, o conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, recheado de infográficos e de notícias, seguindo os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.

Resgatar. Repensar. Ressignificar! A Castelatto Pisos e Revestimentos está proporcionando uma verdadeira experiência em design em sua nova coleção Castelatto: o resgate de um tipo de acabamento tão significativo para os mineiros – agora com toda a contemporaneidade do Século XXI: a Castelatto repensou e ressignificou as pra lá de tradicionais paredes em adobe, pau-a-pique e afins em uma linha completa de produtos premium para revestir pisos e paredes desse admirável mundo novo. Como?!?

…Castelatto é Ponto Bello Acabamentos – a primeira butique de pisos e revestimentos da região. Conheça a coleção Castelatto 2021, na real e presencialmente, na Lavras, esquina com Dr. Manoel Patti.

Sobre pesquisas e o pesquisado em questão – o atual presidente do Senado, nosso conterrâneo Rodrigo Pacheco -, senta que lá vem historinha: o cara era deputado federal pelo PMDB mineiro, quando teve seu nome lançado como candidato à Prefeitura de Beagá, aos 5 de agosto de 2016. Vai daí que, em edição do último domingo do mesmo mês de agosto/2016, o jornal “Folha de São Paulo” publicou pesquisa relativa a intenção de votos do eleitorado de Beagá, então com 11 candidatos na disputa pela prefeitura da capital. Num gráfico publicado pela Folha não aparecia o nome de Pacheco e uma nota de rodapé no tal gráfico dava conta de que “o candidato Rodrigo Pacheco não pontuou na pesquisa”…

…Passados menos de 40 dias, com o primeiro turno das eleições transcorrido, o fato foi que Pacheco, entre os 11 candidatos, ficou em terceiro lugar (com 10,02% dos votos) na preferência do eleitorado belorizontino. Que apontou para a disputa no segundo turno de suas eleições municipais os candidatos João Leite (33,40% dos votos) e Alexandre Kalil (26,56% dos votos). Como todo mundo se lembra, Kalil foi então eleito prefeito de Belo Horizonte obtendo, naquele segundo turno, 52,98% dos votos válidos.

Bermudas Dudalina, gravatas, camisetas da Beagle, casual VR, drives e sapatênis Sergio’s, camisetas Highstil, jeans DTA, camisas Richards… o Outono/21 já está Sangue Azul. Para homens com estilo. Na Avenida da Moda ou via Whatsapp (35/9-9141-3312) e com serviço de entrega a domicílio. #sangueazul homem

Enquanto o tal do “novo normal” não se estabelece de vez, uma das apostas dessa porção Sudoeste de Minas é mesmo o turismo rural. Por ora – e por um bom tempo, devido a pandemia – o recurso será esse. Pelo menos é o que dizem nas reuniões que estão rolando. Sendo assim, a vizinha Monte Santo de Minas quer explorar o seu potencial, suas fazendas de café, suas cachoeiras & cascatas. O Sistema FAEMG/SENAR/INAES, através de seu escritório regional ER-09 de Passos entra em campo e vai capacitar os agentes de turismo rural. Reunião on-line realizada na tarde d e hontem tratou disso…

…a Assessoria e Comunicação do 09, por meio de sua jornalista de plantão, Denise Bueno, dá conta de que participaram da reunião as mobilizadoras do Sindicato dos Produtores Rurais de Monte Santo de Minas, Janaína Fernandes e Rosiane Silveira, além de representantes da prefeitura para a implementação no município do Programa Agente de Turismo Rural. A prefeitura montessantense, empenhada em investir no setor, buscou ajuda do Sistema para a capacitação de pessoas e resgaste cultural. Participaram os secretários de Educação e Turismo, Ronan César Duarte, Adilson Cesar Machado e João Paulo Castro Sant’Anna. Pelo Sistema Marília Saraiva e o gerente do Regional de Passos, Rogger Miranda Coelho…

…Entre as propostas para o fomento do turismo rural está a preparação do município para o investimento no setor, após o a pandemia. Pra começar a Prefeitura de Monte Santo de Minas já realizou ações como a limpeza das áreas de cachoeiras e o mapeamento de pontos com potencial turístico. Passo seguinte será a mobilização da turma de 15 agentes que deverão passar por uma capacitação de 264 horas. Porque a pandemia vai passar e dias melhores virão, primeiro, para quem está saindo na frente. Acorda, Praça do Rosário!

Acupuntura para reequilibrar o corpo e a mente, nesses tempos de stress por conta de tudo isso aí fora. Acupuntura como tratamento, massagem como relaxamento, com atendimento a domicílio e com todos os procedimentos de segurança, conforme os dias atuais, no atendimento. Pela fisioterapeuta e acupunturista Mayna Elias. Agendamentos pelo 9-9119-8690 ou 9-9946-0881.

A superintendente regional de Ensino Lael Helena Keller Souza; a secretária municipal de Educação Jane Hespanhol; João Paulo Toledo Gomes, que é o diretor geral do IFSuldeminas – Campus Passos; Itamar Teodoro de Faria, diretor UEMG|Passos e o diretor do Colégio Status, Décio Martins Cançado, foram os convidados para live armada pelo Mais Educa Eventos, em comemoração ao 28 de Abril – “Dia da Educação”. Os desafios enfrentados pela Educação na pandemia foi o mote do bate-papo transmitido pelo Canal Mais Educa Eventos.

O diretor de Teatro Maurílio Romão faz a hora/não espera acontecer. E manda ver o “Rua em Cena” – Festival de Teatro de Rua …Na rua e on-line! A partir de amanhã, feriado do “Dia do Trabalho”, o “Rua em Cena” estreia com Edu Silva – da Família Silva/Coliseum apresentando “Contos e Causos de um Mineiro”; ás 20h, no site festivalteatropassos.com/ruaemcenafnteatropassos e no canal do YouTube!

No domingo, 2 de Maio, tem “Malacutáia” apresentado pelo itauense Palhaço Tijela – alter ego de Davi Ribeiro, mentor e realizador do Circus Zu. Na segunda-feira 3, o Rua em Cena apresenta “Caboclo d’Água”; na terça-feira, 4 de Maio, em cena “Folia de Príncipe”. Encerra o festival, no dia 5 de Maio, a apresentação do “Auto do Boi da Manta”. O Festival de Teatro de Rua “Rua em Cena” é uma realização da Adesc, a partir de recursos da Lei nº14.017 – a Lei Aldir Blanc.


Gisuis,quequeisso?!? Depois de longas férias na canastra e em tempo de fazer malas & cuias de volta para o trabalho, a jornalista Adriana Dias avisa que não vem de táxi: vem de ônibus da Anitta


Filho de pais nordestinos, mineiro de nascimento e criado em Ribeirão Preto, o grafiteiro Lelin Alves (à esquerda) fez rasante de trabalho na Ardeia – a convite da habitat imóveis – movimentando a cena da arte urbana in cittá.
Lelin trouxe o parça Fábio Oregame para ajudar na execução do big painel que agora enfeita a rua bBernardino Vieira, bem no centro da cidade. Com trabalho reconhecido mundo afora, os grafites de lelin povoam paredes de norte a sul do Brasil, da América Latina – onde foi destaque na 3ª Bienal de graffiti fine art, no chile – e na europa