Destaques Geral

Psicóloga paraisense concorre a prêmio por luta contra a violência doméstica

Por Ralph Diniz / Especial

24 de outubro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

S. S. PARAÍSO – Lutar contra a discriminação racial e estender a mão às vítimas de violência doméstica: essas são as duas bandeiras de uma psicóloga de São Sebastião do Paraíso. E as ações dela têm feito tanta diferença na vida das pessoas que ela é uma das finalistas da terceira edição do Prêmio Viva, que reconhece o trabalho de quem está na linha de frente pela vida das mulheres.

Prescila de Fátima Vieira Venâncio, de 40 anos, integra a Associação Ajuda Mulher, uma ONG criada para apoiar mulheres vítimas de violência doméstica no município com acolhimento psicológico e jurídico. Ela e outras participantes realizam grupos terapêuticos, rodas de conversa e palestras, além de atuar na prevenção de um crime que é muito mais comum do que a maioria das pessoas imagina.

Com a história marcada por conflitos, preconceitos e violências, Prescila encontrou forças para se reerguer, levantar a cabeça e seguir em frente até conseguir o tão sonhado diploma da faculdade de Psicologia. Hoje, ela usa sua experiência de vida e acadêmica para ajudar outras mulheres que passam pelo que ela passou um dia.

“A violência de gênero não escolhe as suas vítimas, basta ser mulher. E a gente acaba se identificando, sabemos quais as violências que nos atingem. Por isso temos uma escuta mais qualificada, pois lidamos com uma dinâmica mais complexa”, explicou.

A luta de Prescila e da associação, contudo, não tem sido fácil, afinal, segundo ela, as políticas públicas ainda não reconheceram a necessidade de abordar a questão da diversidade da maneira necessária. Mesmo assim, a psicóloga e as colegas de ONG não desanimam.

“Acho importante levar os projetos da associação adiante porque podemos trabalhar a questão da saúde relacionando o racismo, a violência doméstica e até a questão da segurança pública. Neste contexto que estamos vivendo no país, vemos um alto número de violências cometidas, principalmente contra mulheres negras. Elas são, na maioria, as que estão desempregadas. E as meninas negras as que sofrem violência”, destacou.

Mulher, negra e de origem humilde, ela sabe muito bem as dificuldades que suas semelhantes enfrentam na sociedade, por isso não mede esforços para ajudar na construção da identidade dessas pessoas.

“Isso me inspirou a trabalhar a representatividade negra de forma lúdica, através da produção de bonecas negras. Eu mesma idealizo as bonecas, costuro. E eu tento fazer sempre da melhor forma, para mostrar que a boneca negra é bonita. Isso ajuda muito na autoestima da criança, faz com que ela se identifique. Eu tive uma menina que olhou para a boneca e perguntou à avó se eu a conhecia, porque a boneca se parecia com ela”, contou.

E os frutos de tanta dedicação começaram a ser colhidos no ano passado, quando Prescila foi uma das finalistas do Pêmio Juntas Transformamos, do Instituto Avon, e se tornou uma das embaixadoras nas causas de enfrentamento à violência contra mulheres e meninas no Brasil. Já neste ano, o instituto da empresa de cosméticos indicou a psicóloga paraisense ao Prêmio Viva, da revista Marie Claire, na categoria “revendedora Avon”, por abordar os temas da violência doméstica, do racismo contra mulheres negras e a questão de gênero.

E mesmo sem saber se vai ou não ganhar o Prêmio Viva, Prescila já se enxerga como uma verdadeira vencedora simplesmente por ter derrotado o preconceito, a violência e, principalmente, por poder ajudar outras tantas mulheres e meninas a superar os mesmos desafios.

“É uma honra muito grande, principalmente por ser indicada pelo instituto de uma multinacional que faz um trabalho muito relevante na área da violência contra as mulheres e meninas. Além disso, a indicação abre muitas portas para o nosso trabalho na associação, que pode nos ajudar a conseguir parcerias. É um reconhecimento muito grande do nosso trabalho”, concluiu a psicóloga. O resultado final da terceira edição do Prêmio Viva será divulgado no dia 23 de novembro, em evento a ser realizado no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

Prescila Venâncio é destaque em prêmio da revista Marie Claire. / Foto: Divulgação