Destaques Dia a Dia

Provérbio Ídiche

20 de julho de 2020

Frei Clarêncio Neotti, OFM, garimpa mais um provérbio para nós.

“Meia verdade é mentira inteira.” Ídiche é uma língua falada por mais de três milhões de hebreus espalhados pelo mundo. Duvido algum dia encontrar uma pessoa adulta que não tenha mentido. Muita gente até se desculpa , dizendo que suas mentiras são mentiras necessárias. Outros acham que mentira só é mentira quando descoberta e gera consequências negativas. Jesus foi claro: seja o vosso sim, sim, e o vosso não, não, porque todo o resto (as desculpas) vem do maligno (Mt 5,37). Vivemos cercados de meias verdades, por isso estamos rodeados de mentiras, como uma ilha no meio do mar. Talvez nos possa servir na prática a melhor definição de mentira que encontrei: Mentira é negar a verdade a quem tem o direito de sabê-la.” – Resumidamente, Frei Clarêncio Neotti, OFM, nos dá uma síntese do que ele acha da mentira, com citação bíblica, inclusive.

Uma meia verdade é considerada uma mentira inteira, diz o ditado. Se a meia verdade não corresponde aos fatos e nem explica integralmente o assunto, ela é incompleta e nada resolverá. Pelo contrário, talvez seja até pior. Seria mais ou menos como o caso de um ditado que diz: “Pior a emenda que o soneto.” A expressão significa “tentar arrumar algo e deixar pior do que estava”. Ela surgiu na época do poeta português Manuel Maria l’Hedoux Barbosa du Bocage (1765-1805). É querer tapar o sol com peneira.

Concordo também que dificilmente encontrarei alguém adulto que não tenha contado uma mentira qualquer, por mais ingênua ou inofensiva que seja. A pessoa dirá que a mentira foi necessária para evitar confrontos, desavenças ou um mal maior ainda. Enfim, cada situação só pertence à pessoa e saber se ela está com a razão ou não, se sua consciência a faz agir assim, é algo de foro íntimo. As consequências, que porventura não forem agradáveis ou aceitáveis, serão de sua responsabilidade. Mentir ou esconder a verdade, não daria no mesmo? Há pessoas que acreditam que uma mentira só será mentira se vier à tona a verdade depois e gerar consequências funestas, negativas.

Bem, aí, o caldo já entornou! Os resultados? Imprevisíveis conforme o caso, ou bastante previsíveis, também dependendo de cada situação. Só que, com consequências nada interessantes ou até frustrantes. Frei Clarêncio Neotti ainda cita palavras de Jesus Cristo quando disse: seja o vosso sim, sim, e o vosso não, não, porque o resto vem do maligno. O resto, o frei interpreta como: as desculpas. Entendo que é preciso ser positivo e sincero, dizer a verdade, não a meia verdade e muito menos um mentira inteira. O homem precisa ter o seu coração puro, sempre em busca do bem, com muita honestidade. Tem de dizer o sim, na hora de dizer sim. Tem de dizer não, na hora de dizer não. Mas, sempre em nome da verdade, da honestidade e do bem comum.

Estamos sempre cercados de meias verdades e de mentiras também. Presenciamos mentiras por todos os lados, em casa, no trabalho, na vida social, na política, enfim, em todos os meios que frequentamos. Em alguns mais, em outros, menos. Frei Clarêncio Neotti diz que estamos na mesma condição de uma ilha no meio do mar. Ou seja, água por todos os lados. Significa que estamos rodeados de mentiras de todos os tipos e nos seus vários graus de maldades. A impressão que se tem é que elas acabam aparecendo como verdades, pois, são tantas, que nem tempo temos para observar e saber separar o joio do trigo. O corre-corre da vida cotidiana não nos permite parar para observar e pensar.

O frei ainda nos presenteia com uma definição do que seja a “mentira” dizendo que foi a melhor que já conheceu e ouviu: “Mentira é negar a verdade a quem tem o direito de sabê-la.” Bem, trata-se de um belo assunto para se pensar e tirar conclusões próprias. Se uma pessoa me perguntar o que eu penso dela e a resposta que eu tenho é oposta ao que ela espera, devo mentir ou dizer a verdade? Tenho direito de magoá-la ou será preferível não dizer a verdade, não ser sincero? Situação difícil, hein! Que cada um de nós tire as suas conclusões, mas, que sempre pensemos no bem comum, no verdadeiro amor que deve reinar entre os homens.

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO professor de oratória e de técnica vocal para fala e canto em Carmo do Rio Claro/MG – Ex-professor do ensino técnico comercial – formado no curso Normal Superior pela Unipac.