Destaques Previdência

Prova de vida

11 de agosto de 2020

O INSS suspendeu a prova de vida até 30 de setembro, em razão das medidas de combate à Covid-19. No entanto, o prazo não vale para quem estava com o benefício suspenso em março deste ano. Neste caso, o aposentado ou pensionista tem que ir ao banco regularizar o benefício antes que ele seja cancelado. É preciso comparecer à agência onde recebe o benefício e apresentar um documento de identificação, com foto, para provar que está vivo e ter o pagamento restabelecido.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Representante
  • Como fazer
  • Benefício cessado
  • Procurador

Representante

Quem está nesta situação, tem mais de 60 anos e não pode ir ao banco porque está doente ou com dificuldade de locomoção pode fazer o recadastramento por meio de um representante legal. Até o fim do estado de calamidade, não é necessário que o procurador esteja cadastrado no INSS. Caso não tenha um representante, o aposentado pode nomear um em um cartório, que não suspendeu os atendimentos. Munido da procuração, o representante deve ir ao banco onde o pagamento do INSS é feito e recadastrar a senha para o saque do benefício.

Como fazer

Se o benefício foi bloqueado por alguma exigência, o segurado deve enviar a documentação pelo Meu INSS, site ou aplicativo. Durante a pandemia, o INSS dispensa a autenticação das cópias de alguns documentos, como certidões de nascimento, casamento ou óbito.

Benefício cessado

Após seis meses sem comprovação de vida, porém, o benefício é cessado definitivamente. Para reativar o pagamento o segurado terá de fazer a solicitação pelo Meu INSS e esperar a reabertura das agências do INSS. O atendimento nos postos está previsto para ser retomado, gradualmente e com hora marcada, no dia 24 de agosto.

Procurador

Desde 27 de julho, até o fim do estado de calamidade, a renovação da prova de vida para maiores de 60 anos pode ser feita por procuração, sem o prévio cadastramento do representante no INSS. Quem não tem um procurador legal pode procurar um cartório. No estado de São Paulo, as procurações para fins previdenciários são feitas gratuitamente. O interessado em nomear um procurador deverá apresentar seus documentos pessoais originais (RG, CPF e certidão de nascimento/casamento).

O tabelião fará uma entrevista pessoal com o aposentado, para conferir se ele está plenamente capaz de manifestar diretamente sua vontade. Para ser nomeado procurador é preciso ter mais de 18 anos e comprovar os dados pessoais (nome, RG, CPF, estado civil, profissão e endereço) por meio de documentos oficiais. Pessoas com problemas de locomoção, doentes ou incapacitadas de se deslocarem até a sede do cartório podem solicitar o atendimento a domicílio ou no hospital