Agronegócio Destaques Geral

Produtores rurais de Capitólio apostam no marketing e no delivery para vender

13 de abril de 2020

CAPITÓLIO – Em tempo de pandemia, uma série de ações movimenta o mercado de hortifruti. Em Capitólio, produtores da Feira Livre trabalham com novo formato de divulgação dos produtos nas vendas por delivery. Peças publicitárias foram criadas pela ex-aluna do curso Gestão de Marketing do Sistema Faemg/SenarMinas, Simone Nicolau da Silva, que observou o momento, as dificuldades do grupo de se comunicar e ofereceu ajuda voluntária para esse período de crise. O resultado, após as primeiras semanas, é surpreendente.

Simone é natural do Estado de São Paulo, mas reside em Capitólio há mais de um ano. Ligada ao turismo, foi no curso de marketing que começou os seus contatos na cidade. Conhecendo o grupo da Feira Livre “Terra Nossa” percebeu a dificuldade que estavam enfrentando para apresentar seus produtos, uma vez que as feiras estão suspensas e o ritmo de turistas na cidade caiu. Ela ofereceu para criar artes para que os produtos pudessem ser apresentados de uma forma mais criativa e atrativa e essa rede de atendimento está crescendo, bem como as respostas com a conquista de novos clientes.

“Eu percebi a dificuldade que os produtores estavam atravessando para mostrar os seus produtos. Como tenho experiência na área de marketing e de vendas, ofereci minha ajuda porque acredito que esse é um momento de união, de todos se ajudarem. Foi a forma que encontrei de colaborar”. Simone mantém o grupo motivado com envio de mensagens e vídeos, para que os produtores possam se adaptar a um novo formato de vendas.

As idéias não param de surgir e ela já apresentou outras possibilidades de comercialização caso o período de pandemia se estenda como o Feirão da Feira e o consumo colaborativo, que leva a troca de mercadorias. “Todos eles são empreendedores e temos que motivá-los mostrando novas opções de comercialização”.

Na segunda-feira, dia 06, o grupo foi aberto para ouvir os clientes através da pergunta “Nós queremos ouvir vocês”, solicitando dúvidas, sugestões e ou reclamações. Os primeiros contatos foram excelentes como de clientes que não tinham o hábito de comprar na feira, mas que descobriram os produtos no delivery. São muito os elogios quanto à qualidade, higienização e preço justo. Outros se manifestaram sobre a importância de apoiar o comércio local, a alegria dos produtores, o bom atendimento. O grupo mantém uma página no facebook “Feira Terra Nossa”, onde também divulga as ações do delivery.

Oliviane de Fátima Rosa do Espetinho do Chorão, que começou a divulgação no grupo na segunda-feira, 6, disse que o trabalho da Simone tem ajudado muito. No primeiro dia de divulgação já recebeu muitos contatos. O mesmo tem ocorrido com os demais produtores do grupo. Para Alessandra Maria Peixoto Santos a ajuda da Simone é muito importante e os produtores estão em fase de adaptação com esse novo formato de vendas. Ela por exemplo vendia para a merenda escolar e na feira. Com tudo paralisado, o delivery é a alternativa de comercializar o que está sendo colhido. “As vendas estão sendo gratificantes, pois os clientes estão satisfeitos com esse formato e agradecem. A Simone tem nos ajudado bastante”.