Destaques Geral

Procura por psicólogos devido a impactos da pandemia aumenta

Talita Souza / Especial

22 de junho de 2021

Após um ano, demanda por atendimentos psicológicos apresenta aumento por causa da pandemia:/ Reprodução

PASSOS – A procura por atendimento psicológico devido a impactos da pandemia de coronavírus aumentou na região. Segundo a psicóloga Carolina de Siqueira Coutinho, conselheira do Conselho Regional de Psicologia (CRP) do Sul de Minas, o crescimento da demanda em decorrência da pandemia já era esperado pelos profissionais e, desde o início deste ano, a procura tem se intensificado.

“Não é que aumentou o número de atendimentos. Na psicologia clínica, sempre apareceu muita procura por atendimento. Agora, de fevereiro pra cá, eu percebo que as pessoas têm procurado atendimento por causa da pandemia e não por causa de outras questões. Até o ano passado, tinha pandemia, as pessoas procuravam atendimento, mas para tratar de questões da vida. Agora, no começo de 2021 pra cá, eu percebo que a pandemia virou o assunto que leva as pessoas a procurar tratamento. Ou a pandemia em si ou efeitos dela”, disse.

Ainda de acordo com a psicóloga, essa procura é motivada pela aflição e insegurança dos pacientes com relação ao que esperar do futuro.

“O assunto da pandemia tem permeado praticamente em todas as sessões com os pacientes mais aflitos, mais ansiosos por causa da pandemia e, principalmente, inseguros com o futuro. Agora, que já faz mais de um ano, quase um ano e meio de pandemia, tem um sentimento de insegurança muito maior em todo mundo, de não saber até quando isso vai, quantas ondas ainda virão. Então, acho que o sentimento de insegurança é o que mais angustia e tem estado presente na procura por atendimentos psicológicos de fevereiro para cá”, afirmou Carolina.

Outra mudança na psicologia clínica foram os atendimentos que passaram a ser realizados virtualmente, por causa do isolamento social. Segundo Carolina, muitos psicólogos clínicos ainda não tinham contato com o atendimento virtual e só com a pandemia esse tipo de atendimento se fez possível.

“Quando a gente faz o atendimento presencial, é a psicóloga que responde por todas as variáveis. Então, é a psicóloga que tem que garantir o sigilo, que tem que garantir que a sessão não vai ser interrompida e tudo mais. No atendimento online, essa responsabilidade é dividida. Então, o paciente tem que estar em um ambiente que garanta a privacidade e o sigilo, num horário que não terá ninguém para interromper o atendimento. Por conta disso, alguns pacientes fazem questão do atendimento presencial”, afirma.