Destaques Geral

Presidente do CRM-MG alerta sobre flexibilizações na pandemia

Por Nathália Araújo / Redação

8 de novembro de 2021

Para Cibelle, nada pode substituir uma boa relação entre médicos e pacientes./ Foto: Nathália Araújo.

PASSOS – A presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG), Cibelle Alves de Carvalho, esteve em Passos neste sábado, 6, onde participou do I Curso de Ética Médica, promovido pelo Centro Acadêmico Barão de Passos (Cabap) do curso de Medicina da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). Cerca de 100 estudantes, médicos e residentes assistiram a palestras e participaram de uma roda de conversa.

Em entrevista para a Folha da Manhã, Cibelle destacou sobre a importância da ética médica para o enfrentamento do novo coronavírus. De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG) neste sábado, foram registrados 1.306 novos casos e 18 óbitos nas 24 horas anteriores.

Desde o início da pandemia, Minas já teve 55.746 mortes em decorrência da doença. Para Cibelle, a flexibilização nas medidas de segurança é preocupante. Segundo ela, ainda não é possível fazer prognóstico em relação à covid-19 e o ideal é que todos continuem seguindo os cuidados recomendados, tais como uso de máscaras e de álcool em gel 70%.

“Nós estamos diante de uma doença nova e, em âmbito mundial, vários estudos científicos estão em fase de produção. Com as vacinas, a situação melhorou bastante sim, não apenas em relação ao número de pacientes infectados, mas especialmente porque as pessoas que adoecem não morrem com a mesma frequência. Para enfrentar este momento tão difícil, acredito que os profissionais de Minas seguiram os princípios fundamentais do Código de Ética Médica, que fala sobre o cuidado e o respeito com o ser humano, junto da aplicação de toda a capacidade técnica e profissional possível”, disse a CRM-MG.

“A pandemia não acabou. De fato, hoje o risco é menor mas, mesmo com a vacinação, ainda vemos pessoas falecendo, principalmente quem tem mais de 60 anos e por isso a revacinação é tão importante. É com muita preocupação que vejo a abertura dos eventos, porque ainda não podemos relaxar e crer apenas nas vacinas. Inclusive, falar sobre ética nunca foi tão importante como agora e o conselho sente orgulho ao ver alunos tão interessados neste tema. A pandemia contribui muito com o desenvolvimento da tecnologia, mas nada pode substituir uma boa relação médico-paciente, porque isso também envolve apoio, carinho e cuidado”, afirma a médica.

O evento contou com o apoio do CRM-MG – Delegacia Regional de Passos – e da Santa Casa do município.
Para o médico Jean José da Silva, coordenador de ensino e pesquisa da Santa Casa de Passos, a iniciativa do Cabap é importante.

“Sempre é oportuno refletir sobre ética, especialmente neste tempo em que o ser humano se recolheu frente a uma doença que mudará os conceitos e atitudes de muitas pessoas. Olhar para esta profissão milenar é refletir a construção, não somente do profissional, rico em habilidades técnicas, mas o profissional humano, rico em misericórdia e compaixão. As temáticas pensadas para o evento são de relevância ímpar para esta formação ambivalente”, disse.