Destaques Política

Presidente do Cidassp descarta usina de reciclagem

Adriana Dias / Redação

16 de junho de 2021

Cidassp descarta, no momento, instalação de usina de reciclagem em são sebastião do paraíso

S.S. DO PARAÍSO – O presidente do O Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Região de São Sebastião do Paraíso (Cidassp) em funcionamento desde 2018, Marcelo Morais, informou que não existe, ao menos no momento, projetos do consórcio para instalação em Paraíso de uma Usina de Reciclagem, tendo em vista que quatro dos nove consorciados já possuem associações e ou cooperativas de material reciclável, e os municípios que ainda não possuem estão em desenvolvimento junto ao consórcio, que apoia e atua também na criação dessas associações/cooperativas, sendo também uma das metas previstas no Plano Intermunicipal o fortalecimento da Coleta Seletiva nos municípios com a redução da quantidade de rejeito e aumento na quantidade do material reciclável.

Já sobre a Usina de Recuperação Energética de Resíduos, a implantação depende de um estudo detalhado feito pelo IPGC, o qual será apresentado e discutido por todos os representantes dos entes consorciados e somente após essa discussão se saberá precisar os próximos passos e prazos para implantação ou não da Usina.

“Inclusive, é importante ressaltar que a inclusão de Passos ao Cidassp constitui peça chave para viabilidade da implantação da Usina tendo em vista que a quantidade gerada pelo município viabiliza o projeto, e, sendo assim, em caso de aprovação pelas Câmaras Municipais, o Cidassp junto ao Instituto dará o devido andamento no que diz respeito a este tema”, informou.

Passos é a maior produtora de lixo, com 1.440 mil toneladas/mês. De acordo com os dados passados pela Secretária Municipal de Obras, Limpeza e Serviços Urbanos de Passos, a cidade gera a maior quantidade de resíduo entre os municípios já consorciados. As cidades geram, em toneladas por mês, as seguintes médias: Cássia 241,5; Capetinga 115; Itamogi 241,5; Fortaleza de Minas 54,05; Jacuí 64,4; Pratápolis 138; Monte Santo de Minas 400,2; São Tomás de Aquino 161; São Sebastião do Paraíso 1.104.

O total geral, sem a participação de Passos é de 2.519,65 toneladas por mês e, com a entrada de Passos, vai gerar 3.959,65 toneladas mês.

Questionado sobre os próximos passos nas câmaras para a aprovação de Passos, o departamento jurídico da Cidassp informou que encaminhou o Projeto de Lei da inclusão de Passos ao respectivo setor dos consorciados logo após a Assembleia que aprovou o tema.

“Após o encaminhamento o consórcio apenas acompanha, mas não é possível precisar com certeza quando acontecerá as votações antes do tema ser incluído em pauta para votação, tendo em vista que isso varia muito de acordo com o funcionamento das Câmaras de cada município. Até o momento, sabe-se que algumas Câmaras estavam fechadas por conta da pandemia e que 04 municípios já protocolaram o Projeto de Lei em suas Casas Legislativas”, finalizou a advogada do consórcio, Larissa Alves Silveira.

Consórcio visa soluções para o meio ambiente

S.S. DO PARAÍSO – De acordo com o prefeito de São Sebastião do Paraíso, e presidente do Cidassp, Marcelo Morais, o consórcio tem como objetivo encontrar soluções e desenvolver projetos voltados aos resíduos dos municípios consorciados, a fim de minimizar os impactos ambientais, sociais e econômicos que a destinação incorreta de qualquer tipo de resíduo pode acarretar, auxiliando tanto na parte técnica, como na prática.

“A coleta de pneus, lixo eletrônico, lâmpadas, óleo usado e colchões já acontecem pelo Cidassp. Porém, o resíduo sólido urbano (RSU) atualmente não há ainda a geração de energia. O que só é possível após a implantação de uma Usina de Recuperação Energética de Resíduos, que para ser implantada depende de um longo estudo de viabilidade técnica, econômica e jurídica em todos os entes consorciados”, explicou Morais.

Atualmente o consórcio abrange efetivamente nove municípios, que são os de Cássia, Capetinga, Itamogi, Jacuí, Pratápolis, Fortaleza de Minas, Monte Santo de Minas, São Tomás de Aquino e São Sebastião do Paraíso.

“A inclusão do município de Passos foi aprovada na última Assembleia do Consórcio em meados de maio, porém ainda depende de aprovação do Projeto de Lei nas câmaras municipais dos entes consorciados. Como salientado, o Cidassp já conta com projetos em andamento e outros em fase de desenvolvimento”, salientou o presidente.

Atualmente funciona a coleta de pneus inservíveis, a coleta de lixo eletrônico, pilhas e baterias, a coleta de lâmpadas, a coleta de colchões e de óleo usado, que são realizadas através do consórcio nos nove municípios, por meio de convênios firmados entre o Consórcio e empresas especializadas, com ressalva para as lâmpadas, as quais são trituradas e descontaminadas em um equipamento adquirido pelo consórcio.

Ainda conforme informou o presidente, para melhorar o Plano Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, com informações dos nove consorciados está fixado o atingimento de novas metas e futuras ações que serão trabalhadas.

“O Plano tem perspectiva de ser publicado até fim do mês de junho, no máximo meados de julho. Este estudo está sendo realizado pelo Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC), de Belo Horizonte”, informou.

Nos dias atuais, os consorciados dão sua destinação dentro de suas possibilidades, sendo objetivo do Cidassp auxiliá-los no envio para um Aterro Sanitário devidamente licenciado.