Destaques Geral

Presidente da Casmil denuncia empresa Rondominas por desvio

Por Adriana Dias / Redação

24 de agosto de 2020

A empresa, de Porto Velho/RO havia iniciado operações em Passos no início de julho e estava recebendo leite de alguns cooperados. / Foto: Helder Almeida

PASSOS – O presidente da Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro (Casmil), Leonardo dos Reis Medeiros, fez um boletim de ocorrências no dia 10 de agosto contra a empresa Rondominas Engenharia e Construções por possível desvio de cerca de R$400 mil. A empresa, de Porto Velho/RO havia iniciado operações em Passos no início de julho e estava recebendo leite de alguns cooperados. A negociação não chegou a ser concretizada com assinatura de contrato.

De acordo com o documento, o dirigente, que está à frente da Casmil desde 2007, relatou que no início do mês de junho de 2020 foi procurado por um representante da Rondominas, empresa que pretendia realizar o arrendamento do setor de leite da cooperativa. Ainda conforme informou Medeiros, o acerto dava conta de que as operações teriam início em julho, mas que mesmo antes de assinar o contrato a Rondominas já teria começado a operar as atividades.

Em razão da confiança depositada aos ex-funcionários, foi permitido que eles operassem a venda dos produtos com o compromisso de que seriam feitos os pagamentos aos produtores e demais despesas. Solicitada a prestação de contas, os representantes da Rondominas começaram estranhamente a omitir os dados. Diante do fato, a Casmil, imediatamente, notificou a empresa Nova Mix para que não fizesse mais pagamentos para terceiros. Me desloquei pessoalmente a Ribeirão Preto, onde consultei o advogado da empresa Rondominas, quem alertou-me sobre a possibilidade de estar sendo vítima de um golpe em razão de que sequer o contrato estava assinado”, relatou o presidente da Casmil.

Ainda conforme o documento da Polícia Militar, após receber essa informação do advogado da Rondominas e perceber que os produtores não estavam sendo pagos, a Casmil decidiu por começar a apurar os prejuízos.

Com as diligências, notamos que no valor de vendas de R$2 milhões aproximadamente, apenas R$1,6 milhão foram utilizados para pagamento do leito aos produtores e outras despesas, ou seja, a Rondominas ficou com mais de R$400 mil, valor que deveria ser repassado à Casmil, montante que foi oriundo das vendas em nome da cooperativa”, afirmou.

Medeiros relatou ainda que há notícias de que vendas feitas para três empresas de Piumhi, foram recebidas mediante cheques e dinheiro, valores que também não foram repassados à cooperativa.

Um dos ex-funcionários da Casmil solicitou uma autorização para que a Nova Mix efetuasse pagamento diretamente para uma empresa denominada Falle Truck Transportes e Eventos Nacionais e Internacionais, empresa que, supostamente, montaria uma filial em Passos para atuar no ramo, sendo que nas demais empresas não havia autorização pra recebimento em nome da cooperativa. A Rondominas está situada na rua Boemundo Afonso, em Porto Velho/RO, tendo como representante legal Leandro Santos Galvão”, confirmou em representação na Polícia Militar de Minas Gerais.

A Folha da Manhã procurou por Leandro Santos Galvão, que pediu por dois dias seguidos para aguardar a resposta por meio de seus advogados, porém, até o fechamento desta edição não havia enviado as informações.