Destaques Geral

Prefeitura e Polícia Civil apuram suposto esquema de fura fila da SRE

Gabriella Alux/ Especial

26 de junho de 2021

A superintendente Lael Helena Keller souza disse que desconhece o teor da acusação e, caso seja notificada, irá fazer uma nota para esclarecer o caso

PASSOS – A Prefeitura de Passos e a Polícia Civil apuram denúncia de um suposto esquema de irregularidade na Superintendência Regional de Ensino (SRE-Passos) para furar fila da vacinação contra a covid-19 no município. Segundo a denúncia, a superintendente da SRE-Passos, Lael Helena Keller Souza, teria falsificado documentos para incluir cerca de 80 pessoas no cronograma de imunização de profissionais da rede estadual de ensino. A Câmara de Passos acompanha a investigação junto com a Frente Parlamentar. O caso também foi enviado ao Ministério Público.

De acordo como vereador Francisco Senna, a denúncia foi registrada de forma anônima por meio do ‘Fala Cidadão’, do site da prefeitura e, a suspeita, devido à “riqueza de detalhes”, é que tenha sido feita por alguém ligado à Educação. Segundo ele, a Câmara tomou conhecimento do caso ontem à tarde e o Ministério Público também já estaria investigando a denúncia. Segundo Francisco, a partir de segunda-feira, 28, as pessoas que foram imunizadas pelo suposto esquema devem ser convocadas para esclarecimentos.

“Segundo investigações, as documentações que autorizam a vacinação usadas por essas pessoas não estavam com os nomes dos contemplados pela vacina escritos à mão, mas digitalizados e todos assinados pela superintendente. De acordo com a denúncia, as 80 pessoas teriam, supostamente, recebido os documentos na casa da Lael. Também foi dito que, dessas pessoas que foram vacinadas, aparentemente, apenas cinco não estariam ligadas à Educação”, declarou Senna.

De acordo com a prefeitura, foi instaurado um procedimento administrativo para apurar as supostas irregularidades. “Referente à denúncia contra a superintendente da SRE-Passos, tal procedimento administrativo já foi instaurado nesta quinta-feira, 24, já tendo sido oficiado às autoridades administrativas, legislativas e Ministério Público a respeito de tal apuração. Devido à possibilidade de exposição indevida de servidor público, até o momento, apura-se os fatos em sigilo administrativo”, informou o controlador adjunto Jefferson Faria.Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, a Delegacia Regional de Polícia e a Câmara também foram informadas oficialmente sobre a apuração.

Procurada ontem para comentar o assunto, Lael afirma que ainda não havia tomado conhecimento da denúncia.

“A única coisa que posso dizer é que desconheço o teor da acusação, pois não fui notificada. Caso seja, farei uma nota esclarecedora”, declarou.

De acordo com o presidente da Câmara, Alex Bueno, após a divulgação da denúncia em redes sociais, foi solicitado à prefeitura, com urgência, uma averiguação das cópias de todas as documentações, com as medidas e providências adotadas em relação ao caso. Segundo ele, também foram pedidos esclarecimentos sobre eventuais documentos enviados pela SRE-Passos sobre servidores indicados para a vacinação, inclusive com o fornecimento de cópias.

“Convidei a Controladoria do município para prestar uma exposição aos vereadores sobre a notícia do fato. Determinei a Frente Parlamentar para acompanhar o processo de apuração dos fatos para deliberarmos conforme as competências que couber ao Poder Legislativo. A Câmara Municipal não compactua com atitudes ilícitas e vamos tratar com rigidez essa conduta, pois é uma denúncia muito grave”, declarou Bueno.

Conforme o delegado regional de Passos, o Marcos Pimenta, o caso foi enviado, ontem à tarde, para a Polícia Civil.

“Não temos nada de concreto a declarar, mas o caso já está com o delegado responsável pelas investigações, o Felipe Capute”, disse Pimenta.