Destaques Geral

Prefeitura de Passos interdita banheiros, vestiários e alojamentos

Por Stéfany Dias / Especial

9 de julho de 2021

Vestiários e alojamento do poliesportivo também foram fechados com tijolos. / Foto: Divulgação

PASSOS – A prefeitura de Passos interditou banheiros no Terminal Urbano de Integração Zé da Beca, vestiários e bilheterias no estádio Starling Soares e alojamentos no Ginásio Poliesportivo Elzo Calixto Mattar (Barrinha). No terminal, as portas dos banheiros foram fechadas com tijolos. Segundo a Assessoria de Comunicação da prefeitura, a interdição é provisória e a intenção é reformar os equipamentos. Ainda de acordo com a assessoria, a medida também tem por objetivo coibir ações de vandalismo em equipamentos da área de esportes.

O Município tem a intenção de reformá-los, mas ainda não temos orçamento. A secretaria está trabalhando para captar verbas através de programas abertos. Havendo o recurso, os equipamentos serão reformados”, informa a assessoria.

De acordo com a administração, as quadras seguem fechadas devido à pandemia e apenas uma equipe de esportes treina no Ginásio da Barrinha, onde há um funcionário responsável pela higiene do vestiário disponibilizado para uso dos atletas. A administração também informa que as reformas dos banheiros do terminal Zé da Beca dependem do edital de concessão para prestação de serviços de transporte público na cidade.

A Administração Municipal fechou o local, aguardando o próximo edital de concessão para prestação de serviços de Transporte Público, e neste edital vamos inserir este banheiro para a futura empresa que vencer o processo tomar conta. O edital deve sair nos próximos dois meses”, informa a prefeitura.

De acordo com a administração, as pessoas poderão usar os banheiros da Casa da Cultura ou do Palácio da Cultura até que as reformas sejam concluídas. Segundo o vereador Edmilson Amparado, a administração deveria reformar os banheiros no terminal e não interditá-los.

É de necessidade, acima de tudo pela feira de quinta, e deveria ser reformado e não fechado”, disse Amparado. Para o parlamentar, o poder público não deve acabar com aquilo que já está pronto. “Devemos lembrar que os sanitários públicos da praça se localizam ao lado do terminal de ônibus, local de aglomeração de pessoas”, disse.

O estudante de jornalismo Vinícius Toledo Pinto Silva afirma que o fechamento dos banheiros no terminal causam transtornos. “Quando eu usava como ponto de partida, as vezes o ônibus atrasava e eu não tinha como ir ao banheiro. Se eu perdesse o ônibus, ficaria mais uma hora esperando” disse Toledo.

Para o Vereador Luiz Carlos Souto Júnior, a administração deveria revitalizar os equipamentos públcios. “É um bem público, no ginásio, no campo, existe uma história ali, a história do esporte passense, das próximas gerações que estão por vir, que vão fazer uso daquele local”, pontuou Júnior.

Eu acho que está tudo errado, falta sensibilidade do poder público para resolver aquela determinada situação. A prefeitura tem estrutura pra isso, de guardas, de limpadores, eles pagam caro para a empresa Minas Gerais Administração e Serviços S.A. (MGS) que é prestadora de serviços terceirizados. Então por que não estão deslocando pessoas capacitadas, que a lei permite, para esses locais? Acho que é inadmissível a ação da prefeitura de fechar onde deveria estar sendo reformado”, disse.