Destaques Geral

Preço da banana sobe até 30% no 1º trimestre em Passos

17 de abril de 2021

Carga de bananas doadas pelo Banco de Alimentos de Formiga. / Foto: Divulgação

PASSOS – A expressão “a preço de banana” tem deixado de ser referência para produtos baratos, principalmente no caso de frutas. O valor da banana teve alta de até 30% em Passos no primeiro trimestre deste ano. No Ceasa Minas, em Belo Horizonte, a variação entre janeiro e março deste ano chegou a 22,64% na comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com levantamento feito pela Folha, a falta de chuva em novembro de 2020 e o período de entressafra provocou queda na oferta da banana e aumento no preço. Para o gerente de um estabelecimento de venda de produtos hortifrutigranjeiros Gerry Pereira Teófilo, a alta no preço da banana ocorreu principalmente entre janeiro e março, com estabilização em abril, mas a expectativa é que o valor da fruta não deve voltar a ser baixo como antes.

Não vai diminuir muito por conta dos insumos. Subiu mais ou menos uns 30% no pico, quando toda semana subia R$5. O comércio segurou as pontas. Se fosse repassar tudo que subiu para o cliente, daria um grande impacto e as vendas iriam cair. Hortifrúti é sazonal. Quando sobe, o comércio dá uma segurada”, disse o gerente.

A proprietária de distribuidora de frutas que vende por atacado Marta Maria Costa e Silva afirma que, em época de entressafra, a caixa de 20 quilos da banana chega a ser vendida por R$70 e cai para R$40 no período de abril a outubro, quando há maior oferta do produto.

Um comprador de um supermercado, que preferiu não se identificar, aponta que o preço da maçã gala também teve aumento expressivo. Segundo ele, no começo do ano, o preço da fruta registrou aumento de, em média 40%, de novembro de 2020 a fevereiro deste ano. Além da banana e da maçã, o comprador também afirma que o mamão papaia e as frutas importadas, como ameixa e nectarina, por exemplo, também tiveram aumentos no preço.

De acordo com informações do Ceasa Minas, o grande vilão nos sacolões e supermercados foi o mamão, com aumento de 128,66% no mês passado em relação a março de 2020. Na comparação entre os três primeiros meses de 2021 com o primeiro trimestre de 2020, o valor do mamão variou 71,6%. A melancia, fruta tropical e abundante em terras brasileiras, teve alta de 37% nos três primeiros meses de 2021 em relação ao mesmo período de 2020.

Segundo a assessora técnica da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Andréa Stancioli, as altas não foram contínuas e os preços variavam de mês a mês. De acordo com ela, alguns fatores comuns, mesmo sem pandemia, que influenciam nessa variação são os períodos de entressafra, que provocam menor oferta dos produtos, e a alta cotação do dólar, que favorece a exportação. Os produtores de mamão, manga e limão-taiti, por exemplo, optaram por exportar a produção do que vender no mercado nacional.