Destaques Geral

Pré-candidato à direção da Faemg faz reunião com sindicatos da região

Por Adriana Dias / Redação

24 de Maio de 2021

A Chapa ‘Renovação e Participação’ tem o apoio e foi articulada por Darlan Esper Kallas. / Foto: Divulgação

PASSOS – O pré-candidato à presidência da Federação das Associações Rurais do Estado de Minas Gerais (Faemg) Breno Mesquita esteve em Passos na tarde desta sexta-feira, 21, para reunião com vários sindicatos da região com o objetivo de apresentar as propostas para conquistar a vitória nas eleições que acontecem no dia 31 de agosto. A Chapa ‘Renovação e Participação’ tem o apoio e foi articulada por Darlan Esper Kallas, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (SinRural).

Em entrevista exclusiva à Folha, Mesquita que estava acompanhado da filha, explicou que a composição da chapa vem sendo construída de forma natural.

Há cerca de 3 anos eu tenho ouvido de representantes de sindicatos e talvez eu tenha sido um dos diretores da Faemg que tenha viajado para o maior número de lugares ouvindo produtores e participando de reuniões reivindicatórias. Por conta destas visitas, em todo lugar sempre tinha alguém que dizia do meu perfil de liderança para ser o próximo presidente por saber ouvir, humildade e característica de líder democrático. Por conta disso, conversando e sendo indagado desta possibilidade, no início deste ano, com a manifestação contrária do atual presidente da Faemg à sua continuidade à frente da federação, me senti confortável em colocar meu nome à disposição e junto com todo este grupo que vem ganhando corpo dia a dia em cima de propostas e com pessoas sérias e empreendedoras”, informou.

A eleição do dia 31 de agosto terá duas chapas que foram inscritas no último dia 18 e podem votar sindicatos dos produtores rurais.

São 386 sindicatos aptos a votarem na Faemg. O Sistema Faemg é composto pela federação como braço da representação política do produtor rural. Temos o Senar que é o braço de treinamento, cursos, ou seja, a escola do campo. E temos o Inaes que é o instituto que cuida só de inovação”, disse Mesquita.

Questionado sobre o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, aprovada em 2018, o produtor explicou que esta perda é ruim, mas que, muitos contribuem por ver no sindicato e na Faemg grandes prestadores de serviço.

Nossa ideia não é apenas trabalhar no sentido de resgatar a contribuição, mas resgatar e fortalecer os sindicatos para que a contribuição seja algo que o contribuinte tenha prazer em contribuir. Mas para que isso aconteça, precisamos mostrar serviço e temos de fazer e não é difícil. Tirar dinheiro de qualquer pessoa é difícil, paralelo a isso estamos desenvolvendo alguns serviços que a Faemg já colocou em prática e pensamos em outros para que destes serviços possamos monetizar os sindicatos e a Faemg”, salientou Mesquita.

Para Darlan, ser um dos articuladores da chapa é ao mesmo tempo lisonjeador e de muita responsabilidade.

Quando recebemos os pré-candidatos colocamos esta determinação de que deveria ter um plano em cima de projeto de trabalho e não em nome. Que o nome viria naturalmente e foi o que aconteceu. Acredito a bem do produtor e produtora rural esta chapa vai fazer uma diferença enorme, principalmente ao acesso que atualmente é difícil na Faemg”, contou o presidente do Sinrural.