Destaques Dia a Dia

Postura

POR DÉCIO MARTINS CANÇADO

1 de dezembro de 2020

Quanto mais o tempo passa e reflito sobre diversos assuntos, mais me apaixono pelo conhecimento, pelo prazer que o saber proporciona, pois ele abre inúmeras possibilidades de compreender o mundo ao meu redor, entender a mim mesmo e às outras pessoas. A busca da sabedoria e do discernimento nunca termina. Além do conhecimento em si, faz-se necessário o desenvolvimento da espiritualidade, a procura pela transcendência, a presença de Deus em nossas vidas, para podermos captar o verdadeiro e real prazer de viver em harmonia, conosco mesmos, com quem convivemos, com a natureza, enfim, em paz.

Refletindo sobre a palavra ‘postura’, veio-me à mente buscar seu significado, já que, como educador, frequentemente, tenho percebido crianças e jovens com postura errada (em diversos sentidos), assim como, alguns professores. Vejamos o que quer dizer esta palavra. Postura, do latim ‘positura’, possui diversos significados, de fácil compreensão. Primeiro, o de ‘posição do corpo ou de uma parte dele’. O segundo é ‘o ato ou efeito de pôr ovos’. O terceiro significa ‘preceito municipal escrito, que obriga os munícipes (cidadãos que residem no município) a cumprirem certos deveres de ordem pública- código de postura’, e, por último, postura é: ‘ponto de vista, maneira de pensar e agir, atitude’.

Vamos falar de postura no sentido de aprender a andar, sentar e dormir, que por falta de conhecimento de procedimentos corretos, causa muitos problemas nas crianças e adolescentes, com repercussões graves na vida adulta. O uso excessivo do celular, acompanhado de uma postura errada é um fator preocupante na atualidade. Saúde é, também, um conceito muito abrangente e uma postura correta evita inúmeros problemas durante nossa vida.

De acordo com a teoria publicada em 1859, pelo cientista Charles Darwin, em termos de ‘coluna vertebral’ nós somos realmente descendentes dos macacos. A estrutura da nossa coluna é feita para andarmos de quatro, e não sobre dois pés. A partir da evolução da espécie humana, quanto à maneira de andar, sobraram certos pontos fracos e vulneráveis na coluna vertebral que se ressentem com o fato de andarmos eretos, como também, com trabalhos mecânicos que desenvolvemos no dia a dia.

A ‘lombalgia’ é a forma mais comum de dor na coluna vertebral e quase sempre é causada por movimentos voluntários, executados de maneira errada. Ela ataca a região lombar da coluna e se manifesta tanto em crianças quanto em adultos. Acredita-se que, em cada cinco pessoas, quatro irão apresentar um quadro sério de lombalgia durante a sua vida. Isso se deve a vários fatores. Na infância e na adolescência, o principal fator para essas dores é a má postura, ou seja, a forma errada de sentar, andar e dormir.

Quando se está sentado, é preciso encostar as costas na cadeira. Nunca se deve sentar na ponta do assento ou de forma “jogada”. Assim como no andar, é preciso manter a coluna reta. Para isso, é preciso alinhar os ombros e manter o queixo na altura do olhar, e nunca andar de forma cabisbaixa. Para dormir, a posição de bruços é desaconselhável por inverter a coluna. Para aqueles que dormem de barriga para cima, aconselha-se o uso de um travesseiro baixo. Para quem dorme de lado, o melhor é preencher o espaço entre cabeça e ombros também com travesseiros.

Ao contrário do que muita gente pensa, os cuidados com a coluna não são exclusividade dos idosos, dos avós. A melhor maneira de se ter uma coluna saudável é desenvolver, desde a infância, uma boa postura. São cuidados simples, que podem evitar muitos problemas. Para as crianças que carregam seu material escolar, por exemplo, as formas mais indicadas são: o uso de mochilas (que distribuem o peso por igual na coluna) e dos carrinhos, se estiverem com o tamanho da alça adequado para o braço não ficar sobrecarregado. Não se deve usar sacolas ou pastas que sobrecarreguem apenas um lado da coluna. Para os adultos, além da má postura, existem outros problemas, como a artrose (afecção não inflamatória, degenerativa, de uma articulação), entre outros.

Caso os pais notem algum desvio de postura, ou queixa de dores, devem levar, o mais rápido possível, a criança a um especialista, para que sejam feitas as correções necessárias, seja através de fisioterapia, de colete ou, em último caso, uma cirurgia. Um dos casos mais conhecidos é o da ‘escoliose’. Como nos diz a sabedoria popular: “é melhor prevenir do que remediar”.