Destaques Política

Policiais civis vão à Câmara solicitar apoio

Por Beatriz Silva / Redação

18 de agosto de 2020

Foto: Site EBC

PASSOS – Os servidores da Polícia Civil de Passos compareceram na última sexta-feira, 14, à Câmara Municipal para pleitear apoio quanto à igualdade de direitos das forças de segurança. Conforme o presidente da Casa, Rodrigo Moraes Soares Maia, a solicitação é para que os vereadores reforcem ao deputado estadual Cássio Soares, relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 55, que compõe a reforma da Previdência, a necessidade de igualdade entre as corporações.

Em sessão realizada na última segunda-feira, 17, Maia lembrou que, caso servidores da Polícia Civil e da Polícia Militar compareçam a uma mesma operação e ambos faleçam, a viúva do militar recebe 100% da pensão, ou seja, o valor integral que era pago ao policial. Já em relação ao integrante do policiamento civil, a viúva recebe apenas 60%

É um pedido inquestionável, as forças de segurança trabalham em conjunto em muitas situações. Não há por que existir tal diferenciação, ambos prestam um serviço essencial para a manutenção da ordem e devem ser tratados de forma isonômica”, pontuou o presidente da Câmara.

Sessão tem pedido de melhorias e cobrança à Cemig

PASSOS – Ainda durante a sessão de ontem, 17, o parlamentar Téo Lemos prestou solidariedade aos policiais civis, que reivindicam igualdade de direitos. Ele também destacou que nas últimas semanas foi procurado por moradores do bairro Recanto dos Bosques, que têm relatado problemas quanto ao “abandono” da localidade.

Os moradores disseram que o bairro se encontra abandonado e sujo, sem varrição, então fiz alguns requerimentos, bem como um pedido de maior serviço ostensivo à Polícia Militar, já que as pessoas estão usando a localidade para beber e realizar corridas automotivas durante os fins de semana”, afirmou Lemos.

Em seu período de fala, a vereadora Aline Gomes Macedo sugeriu que os parlamentares façam uma moção ao governador do Estado para que a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) retome as suas atividades.

A Companhia está fechada, oferecendo apenas atendimentos virtuais, os quais são muito burocráticos e não funcionam, as pessoas não conseguem resolver os seus problemas e estão tendo o serviço de energia cortado. Entrei em contato com alguns funcionários da agência, eles disseram ter recebido orientações quanto à covid-19 e que voltaram a trabalhar, mas que, logo depois, o governador decidiu por fechar novamente a Cemig”, disse Aline.

Já a vereadora Dona Cida falou a respeito do despejo dos moradores do acampamento Quilombo Campo Grande, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), ocorrido na última sexta-feira, 14, no Sul do estado. A parlamentar foi solidária às pessoas que sofreram durante a ação de reintegração de posse e questionou a atitude realizada durante a pandemia.

Também foi aprovado, por unanimidade, o Requerimento nº 296/2020, de autoria do vereador Iran Parreira de Oliveira, que solicita à prefeitura a limpeza de uma área localizada na rua Geraldo de Oliveira Lima.