Destaques Política

PMP investe R$2,2 milhões em tapa buracos

2 de junho de 2021

em pouco mais de 100 dias, a atual gestão licitou e iniciou a operação tapa buracos :/ Divulgação

PASSOS – Uma das maiores reclamações em relação às administrações passadas era a quantidade de buracos nas ruas de Passos, em praticamente todos os bairros. Em pouco mais de 100 dias, a atual gestão, por meio da Secretaria de Obras, Habitação e Serviços Urbanos, licitou e deu início, na última sexta-feira, 28, ao procedimento de tapa buracos. A operação recebeu investimento da ordem de R$2,2 milhões e deve utilizar 3.500 toneladas de massa asfáltica.

De acordo com a secretária Municipal, Clélia Rosa, os materiais para realizar a revitalização das vias públicas no município foram adquiridos e as primeiras ruas que vão receber o serviço são as vias de grande tráfego.

“As primeiras ruas a serem trabalhadas serão as vias de maior tráfego de veículos e os corredores de bairro, que aquelas vias que distribuem o trânsito para depois entrar internamente em cada bairro”, afirmou Clélia.

Após a revitalização dessas vias, a operação segue para os bairros, começando pelo Santa Luzia. Nesse período, a Secretaria de Obras irá avaliar a necessidade de duas frentes de trabalho para agilizar a solução na questão dos buracos para os moradores de Passos.

A partir de agora, a operação tapa buracos será realizada de maneira constante até que todas as vias sejam melhoradas. Ainda conforme Clélia este volume de massa asfáltica é mais que o dobro utilizado nos últimos anos.
Questionada pela reportagem a partir das milhares de reclamações ao longo dos últimos anos por moradores de Passos na ‘Seção Livre’ e no ‘Tá Danado’ sobre correções mal feitas, Clélia Rosa salientou que esta operação tapa buracos está sendo feita de acordo com as normas e exigências do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

“São feitos os recortes e também a pintura de ligação e a compactação para que não solte com a primeira chuva. A intenção desta administração é fazer a manutenção para que as ruas fiquem trafegáveis. E, em no máximo 90 a 100 dias toda a cidade já terá recebido a operação”, disse Clélia.