Destaques Geral

Piumhi comemora 153 anos com live de artistas locais

Por Adriana Dias / Redação

20 de julho de 2021

Hoje Piumhi comemora 153 anos de sua emancipação. / Foto: Divulgação

PIUMHI – Piumhi, conhecida como Cidade Carinho e uma das entradas para o Parque Nacional da Serra da Canastra, comemora nesta terça-feira, 153 anos de emancipação. Devido à pandemia de covid-19, não serão realizadas festividades presenciais. A administração municipal preparou uma live com o artista Gabriel, que fazia dupla com Zé Henrique, a partir das 18h.

De acordo com o prefeito de Piumhi, Paulo César Vaz, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas neste ano atípico, não podendo realizar eventos com a presença de público, vai ser feita a live com diversos artistas locais.

A nossa preocupação neste instante é de imunizar a população com a vacinação e manter os cuidados necessários para que, em breve, as coisas voltem à normalidade”, disse.

Questionado sobre as principais dificuldades, o prefeito informou que são a inflação e a covid-19.

O realinhamento de preço de vários itens utilizados na prefeitura, com isso, o custo operacional da máquina administrativa está cada dia mais alto. E, também por conta desta pandemia da covid-19, realizar o equilíbrio entre a saúde e economia não é fácil. Com a crise econômica, grande parte da população se torna mais dependente dos serviços públicos, exemplo é o setor da saúde, onde os recursos são finitos e a demanda é crescente”, salientou o chefe do Executivo.

A administração municipal da cidade que tem, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 34.918 habitantes, tem se preocupado com o próximo ano, que deve ser ainda mais difícil do que 2021.

O próximo ano será muito difícil. Na minha opinião, a crise está por vir. Pelo que já comentei sobre a inflação, nossa moeda, o real, perdeu o poder de compra e está desvalorizado. Isso é péssimo para o país e para o setor público. Prevendo este cenário, tenho realizado uma administração objetiva e pontual. Tudo que estamos realizando em obras e melhorias do serviço público está bem planejado”, assegurou Vaz.


História

A história da Piumhi inicia-se em 1731, quando o bandeirante paulista João Batista Maciel explorou a região da nascente do rio São Francisco à procura de ouro. Já segundo Saint-Hilaire, o botânico e explorador francês que escreveu “Viagem às Nascentes do Rio São Francisco”, Piumhi teria nascido de um acampamento de soldados enviados à região para combater os quilombos estabelecidos na Serra da Canastra.

Piumhi se escreve com eme. A grafia, embora contrarie uma das normas da língua portuguesa (letra eme somente antes p e b), foi oficializada por lei estadual. A explicação está na história do nome, de origem indígena: “pium” em tupi e quer dizer mosquito e o sufixo “í” significa pequeno.

A localização privilegiada facilita o acesso a dois grandes pontos turísticos do Estado: o Lago de Furnas e a Serra da Canastra. Piumhi fica a apenas 16 km de Capitólio, um dos principais municípios às margens do Lago de Furnas, repleto de belezas naturais como cânions e cachoeiras. A 60 km por estrada asfaltada, está São Roque de Minas, principal acesso ao Parque Nacional da Serra da Canastra, onde estão a nascente do rio São Francisco e a mais famosa cachoeira formada por ele, a Casca D´Anta.

As terras férteis são utilizadas para plantio de milho, feijão e café. O café produzido em Piumhi, considerado de excelente qualidade, é exportado há muitos anos. A pecuária de gado leiteiro e de corte também ajuda a sustentar a economia do município. No comércio completo e diversificado, o turista encontra produtos típicos da região como queijos, doces, tecelagem e confecções.

Piumhi é cercada pelas serras de Pimenta, Andaime e Cromo, onde há rampas para prática de paraglider. A principal rodovia de acesso é a MG-050, que liga Belo Horizonte ao Nordeste do Estado de São Paulo (região de Ribeirão Preto).