Destaques Geral

Pet Shops apontam quedas de até 20% nas vendas em Passos

Por Stéfany Dias / Especial

26 de Maio de 2021

Foto: Divulgação.

PASSOS – Estabelecimentos do segmento de pet shop em Passos apontam queda de cerca de 20% no movimento. Segundo levantamento feito pela Folha em dez empresas, um dos principais motivos seria a diminuição no poder aquisitivo da população, o que fez com as vendas se mantivessem estáveis apenas em produtos como rações e cuidados com os animais.

A estudante Cibelle Godoy Lima, de 21 anos, afirma ter percebido o aumento em preços para cuidados com seu cachorro.

Em relação a banho, tosa e atendimento veterinário eu acredito que o acréscimo é justo, mas acho exagerado em relação a medicações e artigos de pet shop.” afirma Cibelle.

Para o corretor de seguros Gladston Fernandes, de 53 anos, dono de dois cachorros, a elevação nos preços não foi tão grande em banho e tosa, por exemplo. Segundo ele, o aumento maior foi no valor da ração.

No pet shop que eu compro, estavam em falta as rações porque os fornecedores não estavam entregando, porém a situação normalizou agora porque eles subiram o preço. Por isso, para mim, está difícil comprar as rações, ainda mais por serem dois cachorros”, afirma Fernandes.

Com o objetivo de atrair novos clientes, alguns profissionais resolveram apostar em promoções e buscar novos meios de divulgação, como é o caso de Letícia Beraldo Silva Duarte Costa, gerente de um pet shop. Desde março do ano passado, quando foi inaugurada a loja, Letícia afirma que o melhor recurso para atrair a atenção das pessoas foi produzir lives, com conteúdo sobre o pet shop e sorteios.

Pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro (MM) em bairros de Belo Horizonte entre os dias 10 e 14 de maio aponta que os preços praticados por pet shop na capital mineira subiram o dobro do IPCA acumulado nos últimos doze meses (5,6% em relação a maio de 2020) em alguns serviços.

De acordo com o Hoje em Dia, o valor médio cobrado por banhos de cães de 10 a 15 quilos, por exemplo, subiu 44% no período, saltando de cerca de R$43 para mais de R$ 62. Já a diária cobrada no hotelzinho dos pets, em média, superou o custo de vida dos últimos 12 meses em mais de três vezes: passou de R$ 44,70 para R$ 53, ou 18,5% de alta.

O economista Feliciano Abreu, coordenador do MM, afirma que a variação de preços entre estabelecimentos, neste mês, atingiu percentuais bastante significativos. No caso do combo “banho e tosa” de cães de 10 a 15 quilos, o valor do serviço oscilou mais de 130% (entre R$ 60 e R$ 140). Em se tratando de vacinas, a distância foi ainda maior: a antirrábica, por exemplo, foi encontrada por R$ 30 (menor preço) e até R$ 85, com 183% de diferença.