Destaques Opinião

Período sabático

POR GILBERTO BATISTA DE ALMEIDA

24 de setembro de 2020

“A vida necessita de pausas” – Carlos Drumond de Andrade Embora me apresente como ex-político cujo capital político se restringe somente ao próprio voto, é impossível para quem passou décadas participando de movimentos políticos e campanhas eleitorais, deixar de, como cidadão, emitir opiniões, analisar e tentar compreender os cenários que se apresentam na política em todos os seus níveis. No caso de Passos, consigo tanto pelas facilidades das mídias sociais, pela leitura diária do Jornal Folha da Manhã e por conversas com inúmeros amigos, acompanhar os acontecimentos e me manter relativamente atualizado e assim trazer aqui alguns comentários, interpretações e elogios ou críticas a respeito do que acontece com a cidade. Mas não me permito, coo articulista, que minha participação neste espaço venha a servir a qualquer governo ou a qualquer candidato, que entendo ser o mais adequado.

Embora não tenha nascido em Passos, residi por 20 anos na cidade e pude desfrutar da generosidade acolhedora de sua gente. Muitas vezes me pego declarando-me passense. Mas neste momento de campanha eleitoral, como cidadão e alguém com profundas e indeléveis ligações com a cidade, não conseguiria jamais deixar de me posicionar a favor de um candidato que representasse uma alternativa de governo que representasse uma perspectiva de maior dinamismo da gestão pública, mais coragem para reorganizar uma máquina pública cujo modelo de gestão dos últimos anos, não está mais compatível com as exigências do momento. É tempo de sermos arrojados para enfrentar o que se faz necessário para corrigir os desvios que a política tem sofrido não só em Passos mas em todo o Brasil e para construir a Passos que desejamos, precisaremos que o futuro gestor tenha sabedoria, experiência e principalmente conheça o caminho das pedras para recuperar a capacidade de investimento da cidade aprovando projetos nos governos estadual e federal que proporcionarão o incremento necessário para sairmos da timidez e revolucionemos a cidade.

Temos muitos exemplos a mostrar de cidades cujos filhos ocupando funções importantes mudaram o perfil tornando pioneiras de desenvolvimento no cenário mineiro. Uberlândia, quando seu filho Rondon Pacheco foi governador e revolucionou a cidade que hoje supera até mesmo Juiz de Fora, e Varginha que na breve passagem pelo Senado do saudoso Morvan Acayaba de Resende, levou para sua cidade o famoso Porto Seco e ali foi o diferencia para que Varginha se tornasse a bela e desenvolvida cidade que é. Soube, através de amigos, que a terra natal do governador Romeu Zema, se transformou em um verdadeiro canteiro de obras.

Temos o senador Rodrigo Pacheco, figura das mais respeitáveis do cenário federal, que certamente será o Senador de Passos, o homem que vai avalizar os planos e projetos do futuro prefeito. Ainda devemos considerar que o Senador Pacheco certamente será o nome mais forte para o governo de Minas em 2022, ampliando ainda mais as possibilidades fazermos história na política passense. Em minha modesta participação na política, pertenci a apenas um partido. O meu velho e querido PFL do meu saudoso Mestre João Quirino, Lazito, Jair Fernandes e tantos outros. No PFL levamos o saudoso prefeito José Figueiredo ao seu 3º mandato e depois nosso companheiro Nelson Maia realizou um governo extraordinário em nossa cidade. Criamos em Passos a cultura de que sempre que o PFL é chamado, cumpre sua missão com galhardia e organiza a Prefeitura.

Por tudo isso, minha posição pessoal – e nem mesmo meu minúsculo capital político será utilizado, pois sou eleitor na capital, me entusiasmo com a candidatura de Alexandre Maia a prefeito e ao meu amigo do peito Gilberto Mattar a vice-prefeito, resguardando todo o meu respeito aos demais candidatos com quem mantenho com quase todos estreitas ligações de amizade e consideração. É uma opção pessoal que, agora sim me justifico, me condenará a um silêncio obsequioso nesta coluna, sobre os temas municipais, enfim um período sabático em minhas opiniões do dia a dia da política passense. Teremos muitos assuntos a comentar, e tão logo as urnas sejam fechadas voltaremos aos temas que são os que mais empolgam que se referem às questões da cidade

GILBERTO BATISTA DE ALMEIDA, é engenheiro eletricista e ex-político, escreve quinzenalmente, às quintas, nesta coluna