Destaques Política

Paulo Vaz vence eleições em Piumhi com mais da metade dos votos

17 de novembro de 2020

Foto: Divulgação

PIUMHI – O médico ortopedista Paulo César Vaz, ex-secretário de Saúde, foi eleito prefeito em Piumhi – o vice da chapa é José Cirineu Silva, o Cirineu da Concretudo. Eles venceram com 9.257 votos, o que representa 53,14% dos votos válidos da cidade.

Vocês terão um prefeito amigo de vocês, que vai governar lado a lado com vocês. E podem ter certeza, estou emprestando o meu nome e o meu CPF, que é a coisa mais séria que um homem pode ter, e não irei sujar nenhum dos dois”, garantiu Vaz.

Em entrevista após o anúncio da vitória, ele agradeceu a quantidade expressiva de votos. “Receber mais de 9 mil votos, uma quantidade expressiva, em uma política enraizada que a gente sabe que é a do interior, me deixa muito feliz. Mas a felicidade tem que acabar e entrar a coragem, para realizar aquilo que está no meu plano de governo”, ressaltou o novo prefeito. Quanto ao período de transição na prefeitura, Paulo Vaz reforçou o convite a Rosângela Guerra, atual secretária de Saúde de Doresópolis, para atuar como secretária da mesma pasta em Piumhi.

Vaz comentou sobre os ataques contra sua campanha, o que, segundo ele, fizeram parte não só da política de Piumhi, mas de muitas outras cidades durante as eleições municipais de 2020. Sobre o assunto, o prefeito relembrou o caso em que um ator tentou denegrir a imagem de uma enfermeira, em Capitólio.

Algumas pessoas tentam fazer das redes sociais um ‘tribunal de justiça’, em vez de colocar ali as suas ideias, suas propostas. Levei essa mensagem durante minha campanha inteira, porque fui vítima em alguns momentos de um ‘tribunal de justiça’. Tentaram me denegrir, me difamar, às vezes até nas ruas, tudo a mando de alguém que, aqui, não quero entrar em detalhes”, disse o eleito, considerando que grande parte das acusações que recebeu veio de uma única pessoa.

Seu vice, Cirineu da Concretudo, concordou com a fala de Vaz e completou: “Espero que a política traga algumas lições e que o pessoal aprenda, de uma vez por todas”, disse ele, ressaltando que o grande incentivo financeiro da concorrência não foi o suficiente para a vitória. “Essa diferença de quase 2.500 votos talvez traga a lição de que isso tem de acabar”.