Destaques Política

Passos realiza audiência popular sobre PEC da Reforma Administrativa

Por Adriana Dias / Redação

22 de outubro de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – A coordenação do Núcleo Regional Sul de Minas do Sindicato dos Trabalhadores Ativos Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal no Estado de Minas Gerais (Sindsep-MG), junto com vários sindicatos, movimentos sociais, câmaras municipais, parlamentares e trabalhadores, vão realizar uma audiência pública na Câmara de Passos nesta sexta-feira, 22, às 19h30, como forma de mobilização dos servidores sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32.

De acordo com a coordenadora do Núcleo Regional do Sul de Minas, Maria Donizetti de Paula, o movimento não se resume somente a Brasília, mas também às capitais e chegou a vários municípios do Brasil. Exemplo disso é o que vem ocorrendo no Sul de Minas, onde estão sendo realizadas audiências públicas nas principais cidades para alertar a população acerca de prejuízos da PEC, caso seja aprovada.

Em uma carta aberta à população, o sindicato aponta que a audiência tem como objetivo alertar e debater os riscos graves da PEC 32. Segundo o sindicato, a proposta é o desmonte do Estado brasileiro, das políticas públicas, de educação e saúde, especialmente, que vai atingir de forma drástica as pessoas que são mais pobres do país, dentre outras áreas atingidas.

“E não só a classe trabalhadora, mas o Brasil como um todo será prejudicado, menos para os grandes conglomerados empresariais interessados nos lucros, e por parlamentares interessados no desmonte da prestação dos serviços públicos gratuitos, além de atingirem os servidores concursados e estáveis, sendo que estes últimos impedem a corrupção no dia a dia. Apesar de o relatório aprovado ter modificado alguns pontos da proposta original, o texto é muito ruim e abre espaço para terceirização dos serviços públicos, extinção de carreiras e concursos, além de fragilizar o vínculo dos servidores com o Estado”, relata o documento.

Ainda conforme o sindicato, se a PEC-32 for aprovada, haverá retrocesso na prestação dos serviços públicos gratuitos pela Administração Pública aos municípios, estados e nacional, e propiciará apadrinhamentos por funções comissionadas sem critérios técnicos e aumentará a corrupção no país.