Destaques Geral

Passos inicia o programa Acessuas com oficinas que visam o mundo do trabalho

19 de Maio de 2022

A equipe técnica do Acessuas é composta por Raissa Caetano Lopes, Luciana Acorinte, Larissa de Paula Coelho e Rosely Melo Grillo

PASSOS – A Prefeitura de Passos, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda (Sedest) está divulgando inscrições para diversas oficinas dentro do Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho (Acessuas Trabalho), que surgiu no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria (BSM) como estratégia de inclusão produtiva urbana da Política de Assistência Social. O recurso federal para este programa é no valor de R$ 86.138,74. A contrapartida da prefeitura é dar continuidade aos serviços após seis meses.

De acordo com a diretora do Departamento de Trabalho e Renda, Rosely de Melo Grillo, as inscrições estão abertas e os interessados devem procurar o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de sua abrangência para se inscrever para as oficinas. O programa vai de abril a outubro para desenvolver com o recurso.

Passos aderiu a este programa 2018, porém o recurso estava parado, pois precisava ser feito por edital de chamamento de uma Organização da Sociedade Civil (OSC) ou montar uma equipe. A gestão da Sedest optou pela contratação da equipe, que é composta por um assistente social e uma orientadora. Os valores serão pagos por seis meses para pessoal e obrigações; para materiais de permanência e para custeio”, explicou.

Ainda conforme contou Rosely, as oficinas já tiveram início em abril, sendo compostas por oito coletivos de 25 pessoas em cada, sendo sete já criados.

São cinco coletivos funcionando nos Cras, um no Centro Pop e outro no Creas. Ainda resta o oitavo coletivo que é específico para os catadores de reciclados, com inscrições abertas a partir do dia 27 de maio. Além dos coletivos vamos realizar quatro eventos com atendimento na zona rural, voltado para o trabalhador rural, como direitos, agricultura familiar, nas quatro escolas municipais rurais, com parceria da Secretaria Municipal de Educação”, afirmou a assistente social.

O objetivo do programa Acessuas é promover o acesso dos usuários do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) ao mundo do trabalho por meio de informações e orientações sobre direitos e oportunidades, de ações que estimulem o reconhecimento de potencialidades e o desenvolvimento de habilidades, bem como da articulação com políticas setoriais. As oficinas são sobre mercado de trabalho, direitos e deveres, educação financeira, motivação, Entre outros.

O público-alvo deste programa é a população urbana ou rural, em situação de vulnerabilidade e risco social, com idade entre 14 a 64 anos, tendo como prioridades as pessoas com deficiência; inscritos no Cadastro Único para programas sociais do governo federal; beneficiários do Programa Auxílio Brasil, antigo Bolsa Família; adolescentes e jovens no sistema socioeducativo e egressos; jovens negros em territórios do Plano Juventude Viva; famílias com presença de trabalho infantil, catadores de reciclados, mulheres vítimas de violência doméstica, dentre outros.

A primeira etapa foi buscarmos junto ao comércio e indústria de Passos quais as necessidades de trabalhadores. Não adianta darmos um curso de manicure, por exemplo, se não é esta a demanda. Fizemos várias reuniões junto ao apoio da Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip). A Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo (Sictur) é parceira neste programa. As parcerias são no sentido de que, após as capacitações, eles possam participar de processos seletivos nas empresas. A intenção é que as pessoas se capacitem e busquem o mercado de trabalho. Um dos maiores pedidos que recebemos é com relação ao atendimento no comércio, como trabalhar com o público. Na zona rural tivemos pedidos para cursos de motoristas de máquinas pesadas. Estamos elaborando um questionário para trazer mais demandas”, disse Rosely.

Ainda de acordo com a assistente social, as equipes dos equipamentos serão treinadas e a ideia é que após os seis meses de eventos, cada equipamento de atendimento tenha uma equipe capacitada para dar continuidade ao programa.