Destaques Geral

Passos e Paraíso têm preços médios mais altos na gasolina em MG

Por Carlos Renato Souza / Especial

5 de julho de 2021

Os preços dos combustíveis em Passos e de São Sebastião do Paraíso foram os mais altos em Minas Gerais. / Foto: Agência Brasil

PASSOS – Os preços médios cobrados pela gasolina comum em postos de combustíveis de Passos e de São Sebastião do Paraíso foram os mais altos em Minas Gerais no período de 27 de junho a 3 de julho, segundo levantamento feito pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com a pesquisa da ANP, o valor foi de R$6,329 em Passos e de R$6,245 em Paraíso. Nas últimas semanas, a Petrobras anunciou redução de até 2% no valor do combustível nas refinarias, mas a queda ainda não chegou aos consumidores na região. Segundo levantamento feito pela Folha.

Segundo Rodrigo Silva, proprietário de um posto de combustíveis em Passos, vários fatores interferem no preço final dos produtos, como a alta do dólar e a produção do açúcar, no caso do etanol.

Os valores de combustíveis têm cotação diária, isto é, todos os dias é divulgada uma nova avaliação que pode subir ou descer. Os descontos chegam aos consumidores, o problema é a falta de informação. Quando a Petrobras anuncia um percentual de descontos, nós acompanhamos mas, como exemplo, se nas refinarias a queda é de 5% e o preço de custo é R$3 por litro, conseguimos um desconto de R$0,15. Ou seja, se no posto a gasolina fica em R$6, o desconto é o mesmo, representando 2,5% de queda”, afirma o empresário.

Para o gerente administrativo de uma empresa do segmento Marcelo Rodrigues de Souza, a tendência é que os preços se mantenham em alta.

Os combustíveis estão realmente caros, mas a verdade é que os altos preços não são revertidos como ganhos, isto porque é necessário desenvolver estratégias precisas de trabalho para conseguir cobrir os custos. A margem de lucro não é tão alta como boa parte dos consumidores imagina ser e precisamos levar em consideração que existe muita concorrência no mercado. O momento é de crise econômica, mas não sei dizer se um dia os valores voltarão ao que eram”, disse.

De acordo com o motorista de aplicativo Carlos Alberto de Souza, é preciso fazer malabarismos para economizar.

Acho que os valores cobrados pelos combustíveis são absurdos. Quando faço bastante corridas, fico satisfeito, mas às vezes também me preocupa, porque é algo incerto. Precisamos fazer orçamentos para economizar de todas as formas possíveis e, para ser bem honesto, na minha opinião, isso é uma vergonha. Pagamos impostos altíssimos e não temos acesso a inúmeros serviços básicos, o governo suga a população de todas as formas, é desanimador”, criticou.

A vendedora Gislaine Gomes, que viaja com frequência, afirma que se sente revoltada com a a situação.

Por conta do meu trabalho, preciso ir até às cidades da região para negociar os produtos, ou seja, acabo gastando boa parte do meu dinheiro para abastecer o carro, que só recebe gasolina. Não acho justo com os consumidores, ninguém se importa com a qualidade de vida dos brasileiros, só querem o nosso dinheiro”, lamentou a consumidora.