Destaques Esporte

Passense vai recorrer na Justiça comum

Por Ézio Santos / Especial

23 de novembro de 2020

Foto: Divulgação (Site EBC)

PASSOS – A diretoria do Passense considerou arbitrária a decisão da Federação Mineira de Futebol (FMF), que, por meio de ofício divulgado em seu site, na sexta-feira, 20, excluiu o Alviverde do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão 2020/2021 – o clube recorrerá formalmente. No documento, o Departamento de Competições da entidade dá a entender que o principal motivo da punição é uma dívida não quitada, mas não revela valores e dados sobre a negociação entre ambas as partes.

Procurado pela reportagem na manhã de sábado, 21, o presidente do clube, Rogério Jesuíno dos Santos, não quis se pronunciar sobre o assunto, mas delegou ao treinador Flávio Queiroz a tarefa de explicar o que ficou acordado entre Passense e FMF, ainda no primeiro semestre deste ano. Queiroz afirma que, antes mesmo de a diretoria do Passense ser formada e ter a intenção de disputar a Segundona, o presidente esteve na sede da FMF, em Belo Horizonte, e ficou sabendo que o clube tinha um débito de R$ 115 mil, mais uma multa de R$ 200 mil. Do total, R$ 315 mil, a entidade queria R$ 90 mil de entrada e o restante, R$ 225 mil, parcelado.

Como o Passense não dispunha na hora, os R$ 90 mil foram pagos em três vezes. Apesar de não estar bem a par da negociação financeira, posso afirmar que a partir de outubro seriam 19 prestações de R$ 13,6 mil. No dia 30 do mês passado, foi depositado, por um empresário de São Paulo que está investindo no Alviverde, um cheque no valor exato da mensalidade. No entanto, ao saber do caso de pedofilia, supostamente praticada por um dirigente de outro clube profissional inativo em Passos, a ordem de pagamento foi sustada pelo emissor, porque ele pensou que Rogério estava envolvido no caso. Então, por causa de R$ 13,6 mil, a FMF nos castigou inesperadamente”, declarou Queiroz.

O treinador considera a punição sofrida pelo Passense absurda. “A FMF só quer sugar os clubes do interior e não faz nada para ajudá-los. Foi uma tremenda sacanagem o que fizeram conosco, porque estamos lutando para voltar com o futebol profissional em Passos. Ela também precisa de filiados, e só por causa de uma prestação atrasada, mas que renegociamos para quitar no dia 22 deste mês, nos suspendeu do campeonato um dia antes do seu início. É ridículo isso. Faltou bom senso e prudência. Estamos nos preparando desde setembro e acontece esta coisa inexplicável”, lamentou.


Recurso

Queiroz diz que, na segunda-feira, 23, o advogado contratado pelo clube vai protocolar na Justiça comum uma liminar na tentativa de reverter o castigo imposto pela Federação. “Estou acreditando que tudo vai dar certo e no sábado que vem vamos estrear na Segunda Divisão. As atividades com os jogadores não pararam, inclusive o amistoso de hoje, às 10h, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) de Passos, diante do time principal, está mantido. Se não tivermos sucesso no recurso judicial, mesmo assim o trabalho vai continuar firme com as divisões de base, pagando a FMF, e ficaremos ainda mais fortes para 2021”, finalizou o técnico.